Siga-nos também em

Filmes

Review TBX | Castelo de Areia: Um filme sobre guerra, mas sem heróis

Nós da Trecobox assistimos ao filme Castelo de Areia e fizemos um breve review sobre ele. Confira o que achamos desta nova produção original da Netflix.
Uma produção original Netflix que passa uma visão diferente dos soldados na guerra do Iraque.

 

Se você procura por um filme com heróis de guerra então este não será o caso. Castelo de Areia (Sand Castle) é uma produção baseada nos acontecimentos da Guerra no Iraque (2003-2011). O filme foi dirigido pelo brasileiro Fernando Coimbra e escrito por Chris Roessner, e aborda a vivência de militares americanos que recebem a missão de recuperar o sistema de água de uma aldeia, o qual foi destruído durante os ataques aéreos.

O personagem principal é Matt Ocre (Nicholas Hoult), um jovem soldado que decide servir ao exército para conseguir dinheiro e assim fazer a sua faculdade. Matt, de início, é um cara covarde que tenta de tudo para não entrar em combate, até mesmo provoca um acidente com sua mão para que fique impossibilitado de continuar na artilharia.

 

Matt Ocre (Nicholas Hoult) em cenas iniciais do filme Castelo de Areia.

 

Após alguns dias de recuperação, Matt é liberado para retornar à ativa e se junta ao o pelotão formado por Falvy (Glen Powell), Enzo (Neil Brown Jr.), Burton (Beau Knapp) e comandado pelo Sargento Baker (Logan Marshall-Green). Eles recebem o direcionamento para atuar em uma missão na cidade de Baquba, a nordeste de Bagdá.

 

Da esquerda para a direita: Beau Knapp, Neil Brown Jr., Glen Powell, Logan Marshall-Green e Nicholas Hoult.

 

O pelotão do Sargento Baker é recebido pelo Capitão Syverson (Henry Cavill), o qual os destinam à missão de auxiliar um pequeno vilarejo acometido pelos ataques e que, por consequência disso, ficaram sem o abastecimento de água após a tubulação ter sido destruída por bombas. A partir deste ponto é que a história dos soldados começa a se desenrolar.

 

Henry Cavill como o Capitão Syverson em Castelo de Areia.

 

Matt Ocre se vê entre o medo da guerra e a vontade de ajudar pessoas carentes, vítimas da guerra. Este impasse põe em prova todas as suas atitudes, o que poderá trazer perdas ou ganhos para a equipe.

O escritor e roteirista Chris Roessner teve uma real experiência na guerra e pode passar ao roteiro do filme toda a sensibilidade de certos acontecimentos, o que foi adaptado com bastante atenção pelo diretor Fernando Coimbra. Durante o filme são expostos sentimentos humanos e diversificados de cada personagem, causando um drama envolvente mesmo sendo uma história com um foco tão diferente de outros grandes filmes de mesma temática.

Castelo de Areia pode ser classificado como um filme de drama com uma pitada de ação, que leva o espectador a conhecer o verdadeiro lado de um soldado de carne e osso, o qual nem sempre é um herói invencível igual ao de outras produções de guerra. Você encontrará medo, dúvida, saudade de casa, fraqueza, bravura, amizade e solidariedade em meio ao caos que toda guerra proporciona.

A produção tem seus pontos negativos, que nem por isso chega a ofuscar os positivos. Faltou um pouco mais de história no filme, algo que possibilitasse uma maior abertura aos acontecimentos. Em uma boa parte do filme você se encontra preso à situação dos soldados dentro do alojamento. Claro que nesses momentos é que podemos ser expostos à tempestade de sentimentos que cada um está passando, principalmente com o personagem de Nicholas Hoult. Contudo sentimos falta de mais ação, principalmente por ser um filme de guerra.

Falando sobre os pontos positivos, Castelo de Areia é um filme impecável, tendo uma fotografia incrível e um elenco de peso, com atuação convincente e madura. Fernando Coimbra mais uma vez mostrou total maestria ao dirigir o longa, dando um desenvolvimento equilibrado à história e uma evolução incrível aos personagens ali caracterizados.

Sem dúvida alguma nós da Trecobox recomendamos que assista ao filme. Castelo de Areia está disponível no catálogo da Netflix e é de longe uma das melhores produções originais da empresa de streaming.

 

Comentários via Facebook

Publicitário, cosplayer, gamer, otaku, viciado em séries e colecionador de action figures. Um mix de tudo o que um verdadeiro geek pode ser. Vivendo a vida intensamente a cada segundo, mantendo-se sempre antenado nas novidades desse incrível e expansivo universo. Um pernambucano de nascimento e paulista de coração.

Mais lidas