Wicked: Parte Um” estreia com Ariana Grande e Cynthia Erivo

"Wicked: Parte Um" promete magia no cinema com elenco estelar

0

O universo cinematográfico musical está prestes a receber um novo marco com a chegada de “Wicked: Parte Um”. A adaptação do renomado musical da Broadway para as telonas já está causando alvoroço entre os fãs e entusiastas do gênero. Sob a direção de Jon M. Chu, conhecido por seu trabalho em “Em um Bairro de Nova York”, “Wicked: Parte Um” promete uma experiência cinematográfica única, recheada de magia, efeitos visuais deslumbrantes e performances impressionantes.

"Wicked: Parte Um Estréia" - Magia de Oz com Ariana Grande & Cynthia Erivo!
Imagem: Divulgação/Wicked

Leia mais:

7 filmes imperdíveis que estreiam nos cinemas em março de 2024: de terror a ação!

O que é DORAMA? Guia completo e TOP 20 mais populares entre os dorameiros

O que esperar de “Wicked: Parte Um”?

A história de “Wicked” nos leva de volta ao fantástico mundo de Oz, explorando a origem e a complexa relação entre duas das mais icônicas figuras deste universo: Elphaba, a futura Bruxa Malvada do Oeste, interpretada por Cynthia Erivo, e Galinda (mais tarde, Glinda, a Bruxa Boa), vivida por Ariana Grande. Ambas estudantes na Universidade de Shiz, suas trajetórias se entrelaçam de maneiras inesperadas, desafiando percepções e revelando que nem tudo é o que parece.

Um olhar sobre o elenco de “Wicked”

Um dos principais atrativos de “Wicked: Parte Um” é, sem dúvida, seu elenco estelar. Junto a Grande e Erivo, o filme conta com a presença de Ethan Slater como Boq, um personagem cujo amor não correspondido por Galinda o leva a um destino inusitado; Jonathan Bailey no papel de Fiyero, o charmoso príncipe que se vê dividido entre Galinda e Elphaba; e Jeff Goldblum encarnando o enigmático Mágico de Oz. Além disso, Michelle Yeoh e Bowen Yang surgem como educadores na Universidade de Shiz, enriquecendo ainda mais a trama com seus talentos.

Magia além do palco

O salto de “Wicked” do teatro para o cinema carrega o desafio de transportar a magia visceral do palco para uma experiência visualmente impressionante que apenas o cinema pode oferecer. Para isso, a equipe por trás do filme não poupou esforços, trazendo para a tela grandes conjuntos, figurinos extravagantes e um design de produção que promete capturar a essência de Oz. Além disso, a música, elemento vital de “Wicked”, recebe um tratamento especial, com as composições de Stephen Schwartz ganhando uma nova vida na interpretação dos talentosos membros do elenco.

Uma história em duas partes

Segundo Stephen Schwartz em entrevista ao Collider, a decisão de dividir “Wicked” em dois filmes foi motivada pela riqueza do material original e pelo desejo de explorar a fundo a história sem comprometer sua integridade. A primeira parte deixa o público à beira de um precipício narrativo, antecipando a resolução épica que só será revelada na sequência.