Rival do Twitter? Conheça Threads, o aplicativo da Meta que quer concorrer com a rede social

Anuncio da plataforma veio após recente polêmica do Twitter

Conheça “Threads”, novo aplicativo da Meta em resposta ao Twitter

Em meio às mudanças que o Twitter vem passando recentemente devido à gestão de Elon Musk, uma nova rede social está vindo com tudo para ser a concorrente do passarinho azul: Threads. Desenvolvido pela Meta, o novo aplicativo é uma resposta da companhia norte-americana, e se propõe como uma opção alternativa à popular rede social. 

O aplicativo ainda está em desenvolvimento, e não há muitas informações reveladas sobre ele, além de ser um concorrente à plataforma de Elon Musk, juntamente com o BlueSky. Assim, para você que ainda não o conhece, nós separamos tudo que sabemos sobre a nova rede social, e você pode conferir abaixo!

VEJA MAIS:

Recém-lançado na Netflix, thriller indiano conta história intrigante e envolvente

Bridgerton’ prepara reviravolta de personagens para terceira temporada da série Netflix

Um dos melhores suspenses de 2023 acaba de chegar ao streaming e você precisa assistir!

Threads
Reprodução: Minuto Uno

“Threads” deve ser a nova opção para antigos usuários do Twitter

Em meio às recentes mudanças no Twitter, como a adição de um limite de visualização de publicações para não-assinantes da plataforma, empresas ao redor do mundo estão se mexendo, e novas opções alternativas para os usuários da rede social estão surgindo. E é claro, falando em rede social, a Meta, dona do Facebook, Instagram e WhatsApp, não ficaria para trás. 

Agora, juntamente com a BlueSky, a empresa norte-americana está desenvolvendo o “Threads”, uma nova aplicação semelhante ao Twitter. Inicialmente intitulada “P92”, e mais tarde sob o codinome “Barcelona”, a plataforma, de acordo com a meta, é uma “rede social descentralizada autônoma para compartilhamento de atualizações de texto”. 

A rede social foi inicialmente revelada por Allesandro Paluzzi, pesquisador de aplicativos, mais cedo este ano, e recentemente, chegou até mesmo a ser disponibilizada brevemente no Google Play Store. Embora a aplicação não tenha ficado no ar por muito tempo, ela nos ofereceu um primeiro olhar a tudo que podemos esperar do aplicativo. 

Abaixo, você confere as imagens. 

Como era de se esperar, o Threads se assemelha muito ao Twitter. No novo aplicativo, encontramos os botões familiares de curtir, comentar, retweetar (re-thread?) e compartilhar na parte inferior de cada postagem. Não apenas isso, mas até mesmo os reconhecidos checkmarks azuis do Instagram continuam presentes.

Usuários poderão acessar o “Threads” com sua conta no Instagram

Entre as capturas de tela reveladas no Twitter, vemos um breve vislumbre de “Threads”, como a tela de login, que curiosamente mostra a opção ‘fazer login com o Instagram’, e o design do feed principal do aplicativo.

Assim, junto com essa opção de login, os usuários terão a opção de percorrer sua lista atual de seguidores no Instagram e escolher quem desejam seguir no Threads, evitando que o novo feed fique imediatamente desorganizado caso optem por importar sua conta do Instagram.

Quando “Threads” chega ao público?

Infelizmente, a Meta ainda não revelou a data de lançamento oficial para “Threads”. No entanto, com sua breve disponibilização na Google Play Store, não é difícil de imaginar que estamos próximos de seu lançamento, especialmente com todas as polêmicas no Twitter recentemente. 

Sobre a Meta

A Meta (anteriormente conhecida como Facebook, Inc.) é uma empresa multinacional de tecnologia sediada nos Estados Unidos. Ela foi fundada por Mark Zuckerberg, juntamente com seus colegas de quarto da Universidade Harvard, em 2004. Inicialmente, a empresa se concentrava em fornecer uma plataforma de rede social online, conhecida como Facebook, que se tornou uma das maiores redes sociais do mundo.

Ao longo dos anos, a Meta expandiu seu escopo e adquiriu várias outras empresas e plataformas, incluindo Instagram, WhatsApp e Oculus VR. Essas aquisições permitiram que a empresa diversificasse suas ofertas e se envolvesse em áreas como compartilhamento de fotos, mensagens instantâneas e realidade virtual.