Siga-nos também em

Artigo

Suits | Com 9 temporadas, série se destaca pelo protagonismo feminino

Suits | Com 9 temporadas, série se destaca pelo protagonismo feminino

 

Série Suits deixou explícito que somos todas poderosas

 

Certa vez conversava com um amigo que ultimamente eu via muitas pessoas assistindo Suits no transporte público. E a maioria eram mulheres. Então ele me disse: acertaram o público errado. Ele, que nunca havia assistido, pensou que uma série com dois protagonistas homens poderosos deveria impactar mais homens.

Sendo assim, eu sutilmente falei os nomes: Donna, Jessica, Rachel, Samantha, Katrina, Sheila e Gretchen. Essa série é, também, sobre o poder feminino, lidando em um mundo corporativo masculino que simplesmente as colocavam como secretárias e sócias-junior. Mulher pode ser reitora da Faculdade de Direito e mãe? Pode vencer seus próprios casos sem ser subjugada? Podem ser boas assistentes e planejarem algo maior?

 

 

Foram nove temporadas com um elenco que deixará lembranças

A última temporada da série norte-americana Suits chegou à Netflix Brasil na última semana, fechando uma história que há oito anos tentava manter sua coerência. E, milagrosamente, conseguiu.

Sarah Rafferty (Donna Paulsen), Gina Torres (Jessica Pearson), Amanda Schull (Katrina Bennett), Katherine Heigl (Samantha Wheeler), Gabriel Macht (Harvey Specter), Patrick J. Adams (Mike Ross), Rick Hoffman (Louis Litt), Dulé Hill (Alex Williams) e Meghan Markle (Rachel Zane), interpretando os principais, estavam maravilhosos durante toda a série. Transpareceram o que poucos elencos conseguem: fizeram-se uma família para os fãs.

 

Suits | Com 9 temporadas, série se destaca pelo protagonismo feminino

Sarah Rafferty fez parte de todas as temporadas de Suits, interpretando a personagem Donna Paulsen.

 

Muito além de uma história com advogados

Gravada em Toronto, e ambientada em Nova York, a série tinha tudo para ser mais uma daquelas que retrataram apenas advogados poderosos passando por cima de tudo e todos com seus ternos caros. Mas Suits conseguiu ser mais.

Além disso, vimos temas delicados serem discutidos com profundidade, assim como seus personagens. Foi fácil chegar ao final de nove temporadas e se emocionar, porque sabíamos o que cada um tinha passado até aquele momento. Sabíamos das dores quando alguma relação era quebrada ou um nome da parede arrancado.

 

Suits | Com 9 temporadas, série se destaca pelo protagonismo feminino

A atriz Katherine Heigl entrou para o elenco de Suits a partir da oitava temporada.

 

Não sei se eu seria cliente de uma firma de direito que teve tantas mudanças no nome, mas tenho certeza que eu queria alguma daquelas advogadas, que lutam com unhas e dentes por tudo que acreditam.

 

A despedida de personagens queridos começou bem antes

E por falar em tudo que acreditam, acreditar no amor também é válido. Uma personagem mulher deixar a série para se tornar duquesa não estragou a força feminina. Pelo contrário, respeitar as escolhas de Meghan Markle ao deixar o papel e se tornar duquesa também é uma forma de dizer: deixa ela.

 

Suits | Com 9 temporadas, série se destaca pelo protagonismo feminino

Meghan Markle participou da série até a sétima temporada. A atriz se casou com o Príncipe Harry.

 

Por outro lado, não posso dizer que os homens da série também não tiveram ótimos papéis. Em alguns, os erros foram corrigidos; em outros, não. Cada um teve a construção de personagem que se encaixaria melhor. Eu diria que foi bem positivo.

 

 

A trilha sonora apenas coroou esses mais de 100 episódios que foram ao ar. “Everybody wanna know, how it feel“, trecho da música tema Greenback Boogie, de Ima Robot, expressa o sentimento que Suits tentou passar.

 

 

Como será ser todas aquelas pessoas poderosas? A resposta não é simples e virá em diferentes momentos. Mas, lá no fundo sabemos: todas somos poderosas!

 

Comentários via Facebook

Jornalista. Peixes com ascendente em Touro - pra traduzir: sonho demais sem tirar os pés do chão. Apaixonada por séries espanholas e convicta que vivi na década de 1920 junto com a galera de Downton Abbey. Homem-Aranha é meu super herói favorito e o Harry Potter já me deu muita força. Ficar em casa vendo séries e estar no estádio de futebol são meus passatempos favoritos.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas