Siga-nos também em

Review

Review TBX | Desejo Sombrio: Um drama mexicano envolvente e sedutor

Review TBX | Desejo Sombrio: Um drama mexicano envolvente e sedutor

 

Com o melhor dos dramas mexicanos, Desejo Sombrio se destaca na Netflix

 

Já era tempo dos dramalhões mexicanos darem as caras no catálogo da Netflix. Com uma trama envolvente e sedutora, Desejo Sombrio estreou no último dia 15 de julho na plataforma, mostrando que sabe se adaptar muito bem ao novo formato para streaming.

 

 

Com o título original Oscuro Deseo, a série mostra uma maturidade em relação as produções latinas das que estamos acostumados, com um enredo de mistério adulto, sem deixar de lado as pitadas dos tórridos romances, típicos da dramaturgia mexicana.

 

 

Produzida pela Argos Comunicación, no elenco estão a ex-RBD Maite Perroni (Alma), Alejandro Speitzer (o Dario, leia mais sobre o ator clicando aqui), Erik Hayser (Esteban), Regina Pavón (Zoe), María Fernanda Yepes (Brenda) e Jorge Poza (Leonardo Solares).

 

 

Confira nossa crítica

 

A série conta a saga de Alma (Perroni), uma professora entediada no casamento, que suspeita de infidelidade, e, em meio a este conflito, acaba tendo um sexo extraconjugal com Dario Guerra (Speitzer), um rapaz mais jovem.

Mas o que parecia ser apenas uma noite secreta, se desenvolve em uma trama de mistério, envolvendo a morte de Brenda, sua melhor amiga, além de um passado repleto de tensos acontecimentos que afetarão seu marido, seu cunhado e a sua própria filha.

 

 

O desenvolvimento

 

O desenvolvimento da história acerta ao prender o espectador desde o primeiro episódio, com roteiro bem distribuído nos aproximados 30 minutos de cada episódio. A série também esbanja sensualidade nas relações construídas, com cenas sexuais extremamente bem feitas. E a medida que o lado sexual abaixa, há uma crescente na trama policial, o que não deixa o espectador ficar órfão de uma história envolvente durante o decorrer dos episódios.

No entanto, o desenvolvimento peca um pouco, de forma que, conforme a série avança, deixa cada vez mais pontas soltas, com explicações cada vez mais espalhadas e curtas, carecendo de certo esforço por parte de quem assiste para conseguir acompanhar o resolver dos casos.

 

 

Nada é o que parece

 

A série também acerta bastante ao brincar com o clichê, que engana o espectador a cada episódio. Portanto, se constrói um arquétipo para os personagens que logo em seguida é quebrado: o garotão vingativo, o esposo infiel, o cunhado vitimizado, a filha doce e inocente.

Assim, o mistério fica cada vez mais difícil de desvendar, e provoca quem assiste a seguir até o fim da temporada.

 

 

A sensualidade das cores

 

A cenografia, figurino e direção de arte também capricharam ao conversar com a série e comunicar informações aos espectadores de maneira sensitiva. Tons de vermelho se destacam em todos os momentos tórridos de romance e sexualidade e vão dando lugar a tons de cinza a medida que a trama envereda para o contexto policial.

Além disso, é possível identificar claramente um México moderno nos takes da cidade onde é possível identificar o contraste entre verdes, vermelhos e brancos (cores da bandeira).

 

 

Elenco

 

A entrega dos atores é perceptível. Todos vão se encontrando nos personagens a medida que a série avança, quebrando seus arquétipos puramente típicos das novelas mexicanas, para inserirem nuances em suas interpretações que evoluem de maneira exemplar.

 

 

A combinação perfeita de atores bonitos, sensualidade e uma trama inteligente, fazem de Desejo Sombrio um acerto da Netflix que vale a pena ver e desvendar os mistérios, atentos ao que o título tem a apresentar.

 

 

E prepare-se para uma 2ª temporada! Desejo Sombrio está disponível no catálogo de originais da Netflix.

 

Série: Desejo Sombrio
8.8 TRECOBOX
HISTÓRIA9
ELENCO9
DESENVOLVIMENTO8
PRODUÇÃO10
ORIGINALIDADE8

Comentários via Facebook

Radialista formado se especializando em direção de arte. Sagitariano, sonhador levando a vida buscando paz, amor e um lugar ao Sol. Cinéfilo, aspirante a roteirista. Aquele otaku paulistano que vê animes nas horas vagas, lê mangás no transporte público e faz cosplays pra tirar uma onda. Geek por consequência. Sucesso é uma jornada, não um destino, tenha fé na sua capacidade, esse é meu lema.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas