Siga-nos também em

Artigo

O som do inevitável | E se a cartada final da Skynet fosse criar a Matrix?

O som do inevitável | E se a cartada final da Skynet fosse criar a Matrix?

 

Skynet anunciou em 1984: Vamos cortar o mal antes da semente dar raiz!

 

Era o ano de 1984 (de novo esse ano) quando o ciborgue T800, vivido por Arnold Schwarzenegger, chega do ano de 2029 para matar Sarah Connor. A protagonista conta com a ajuda de um outro viajante do tempo, Kyle Reese, para fugir dessa ameaça. Durante o filme, Kyle explica que Sarah será a mãe de Jonh Connor, principal comandante da resistência humana em uma guerra contra máquinas inteligentes comandadas pelo sistema Skynet.

 

O som do inevitável | E se a cartada final da Skynet fosse criar a Matrix?

Kyle Resee e Sarah Connor fugindo do ciborgue T800.

 

6 anos depois, na continuação intitulada O Dia do Julgamento Final, a Skynet manda o T1000 pra matar o próprio John Connor, agora com 10 anos. Mas é impedido pelo T800 reprogramado pela resistência para salvá-lo.

 

T800 reprogramado pra salvar o jovem Jonh Connor (Tamo junto parça!)

Após uma severa crise, a Skynet reformula o projeto de 1984 com o nome “O passado é a chave para o presente”.

 

Então veio o terceiro episódio em 2003. John, agora com 25 anos e meio surtado, afinal o mundo não acabou em 1997 e ele não virou líder de nada. De repente aparece uma exterminadora (TX) querendo matar Kate Brewster (ex-crush dele por tabela). Então o T850 salva John e sua futura esposa da TX e também do primeiro ataque da Skynet contra o seres humanos. Ou seja, o dia do julgamento final era algo inevitável (só meio que atrasou 6 anos, igual algumas obras no Brasil).

 

No quarto filme, já no futuro pós-apocalíptico do ano de 2018, a Skynet está quase ganhando a guerra. Não apenas isso, ela também está capturando humanos para replicar os tecidos vivos. O objetivo é fabricar os ciborgues T800 (isso mesmo, aquele lá do início) com aparência humana e se infiltrar na resistência.

 

O som do inevitável | E se a cartada final da Skynet fosse criar a Matrix?

Não adianta ser uma maquina de matar e ter essa cara de lata.

 

2018 – A Skynet procura nova fonte de energia

 

No quinto film… (Bom, vamos pular essa parte)

Enquanto o sexto filme não vem, notaram que a Skynet está quase sempre a um passo de ganhar a guerra? E se a franquia do Exterminador do Futuro fosse uma pré-sequência da saga Matrix?

 

O som do inevitável | E se a cartada final da Skynet fosse criar a Matrix?

A partir daqui não tem mais volta. Leia por sua conta e risco. Preparado?

 

Para pra pensar: Morpheu diz no primeiro filme da trilogia Matrix que as máquinas tomaram o controle do planeta e decidiram transformar os humanos em fonte de energia. Ora! E se Jonh Connor não conseguiu impedir a Skynet? Com aqueles humanos capturados no quarto episódio, ela teria informação suficiente para transformar os sobreviventes em baterias e assim criar a Matrix, não é verdade? Lembrando ainda que Jonh Connor está para ser pai nesse episódio, e se o filho dele… eu vou deixar Morpheu explicar melhor!

 

 

Talvez o agente Smith estava certo. Pode ser inevitável!

Bom, isso é apenas uma especulação. O Exterminador do Futuro 6 está previsto para chegar aos cinemas em 2019 e novos filmes do universo Matrix estão em desenvolvimento.

 

As duas franquias pertencem a Warner Bros. Vai que elas se interligam. O que acham disso? Conta aqui nos comentários.

 

Comentários via Facebook

Um geólogo nascido no Rio. Apaixonado por filmes, séries, videogame. Produtor de stories no Instagram. curioso pra caramba. Não sei muito bem o que tô fazendo aqui, me convidaram porque devo ser legal, nunca saberei.

Mais lidas