Como John Wick 4 prova que o CGI não é o futuro para os filmes de ação

Ação prática supera CGI e dita futuro do gênero no cinema

Por que o sucesso de John Wick 4 mostra que os filmes de ação práticos são o futuro?

John Wick 4 foi um enorme sucesso e seu enfoque nas cenas de ação práticas e cheias de dublês mostra onde está o futuro do gênero. Apesar dos avanços na animação por computador, o CGI simplesmente não é o futuro dos filmes de ação, como prova o sucesso de John Wick 4.

LEIA MAIS:

Inspiração em Shakespeare: 7 filmes INCRÍVEIS que são baseados em obra do autor

DE ARREPIAR! 5 filmes de terror que acredita-se que são AMALDIÇOADOS

O CGI já prejudicou filmes de ação no passado

Apesar de ter muitos usos bons, o CGI já prejudicou filmes de ação no passado. Historicamente, os filmes de ação eram impressionantes por causa da natureza prática e cheia de dublês de suas produções, como podemos ver nos trabalhos de Jackie Chan e, mais recentemente, Tom Cruise. A maioria dos elementos visualizados nesses filmes foram desenvolvidos de forma prática, com as equipes de dublês, adicionando um nível de perigo e emoção.

Entretanto, os filmes de ação modernos que dependem muito do CGI acabaram perdendo essa autenticidade e realismo. Exemplos notáveis do uso excessivo do CGI prejudicando os filmes de ação podem ser vistos na franquia Indiana Jones, Expendables 3, Jurassic World, Catwoman e até na série A Múmia.

Filmes de ação práticos estão em alta

Enquanto os filmes de ação que dependem do CGI dominaram os anos 2000, a última década assistiu a um ressurgimento dos filmes de ação com efeitos práticos. A série John Wick, desenvolvida pela 87Eleven, é um dos primeiros exemplos disso, seguida por filmes como Missão Impossível: Efeito Fallout e Nobody. Esses filmes foram sucessos enormes e provaram que o interesse em filmes de ação práticos ainda existe.

Cada vez mais filmes de ação buscam imitar o que fez esses esforços serem bem-sucedidos, como é o caso de The Protege, Extração e outros lançamentos nos últimos anos. O ano de 2022 foi especialmente importante para os filmes de ação, com Top Gun: Maverick e Everything Everywhere All at Once, ambos com grande uso de efeitos práticos, fazendo sucesso nas bilheterias e na temporada de premiações.

O sucesso de John Wick 4 prova que a demanda por filmes de ação práticos está crescendo

Os filmes de ação práticos não são apenas uma moda passageira, e John Wick 4 provou que a demanda por esse tipo de filme continua a aumentar. Com uma bilheteria de $306.1 milhões após apenas algumas semanas em cartaz, John Wick 4 está a caminho de ser o maior filme da franquia.

Isso é ainda mais impressionante quando consideramos a concorrência de filmes repletos de CGI, como Ant-Man and the Wasp: Quantumania e Shazam! Fury of the Gods. John Wick 4 comprova que os filmes de ação com efeitos práticos estão de volta e, com a estreia de Missão Impossível: Dead Reckoning Part One no horizonte, a renascença dos filmes de ação baseados em efeitos práticos e dublês deve continuar.