Guillermo del Toro diz que Pinóquio é “uma biografia”

O cineasta Guilhermo del Toro está fazendo seu primeiro longa-metragem de animação em sua versão de Pinóquio e disse que o filme é como uma biografia.

O diretor é conhecido por ter feito “O Labirinto do Fauno” e a “Forma da Água”, longa pelo qual ele ganhou quatro Oscars em 2018. Após os prêmios, Toro se tornou ainda mais aclamado, e ele fez questão de falar que o seu novo trabalho não tem relações com a história original de Carlo Collodi.

Falas de Guillermo del Toro sobre Pinóquio

Em um evento com jornalistas organizado pela Netflix, o diretor revelou suas opiniões sobre o filme que estreia no sábado (15), como parte do Festival de Cinema de Londres.

“É um filme que as crianças podem ver, mas não foi feito para crianças” anunciou o diretor. Sem dúvidas, a sua versão do boneco de madeira que não pode mentir é bem mais sombria do que as versões da Disney, incluindo até a Itália fascista de Benito Mussolini. Nessa trama, o Pinóquio é um menino curioso, e bem mais atrevido do que estamos acostumados.

Para mim, há o Pinóquio de Carlo Collodi, o Pinóquio de Walt Disney e o Pinóquio de Guillermo del Toro. O interessante foi: posso fazer um Pinóquio que celebre a desobediência em vez de celebrar a obediência? Posso fazer um Pinóquio em que ele não tenha que se transformar em um menino de verdade no final porque foi obediente?

Foi muito interessante poder criar uma história e uma época em que todos se comportam como marionetes, menos ele. O boneco parece ter mais clareza do que deve ou não deve fazer do que os adultos ao seu redor.

Guillermo del Toro - Pinóquio
Imagem; Divulgação

Del Toro também aproveitou que algumas marionetes usadas na gravação estavam circulando na sala, para explicar o por que ele decidiu usar a técnica do stop-motion, e as dificuldades que ele encontrou:

Quando você grava um filme de live-action, você está capturando algo, certo? Em stop-motion, você tem que provocar tudo. Nada vai acontecer na frente da câmera. Você provoca o vento se movendo, o cabelo, o tropeço, as pedras no chão. Você está criando um universo inteiro para a lente capturar. Não há nada que exista. Nem como coisa material, nem como movimento, nem como vida. São todos objetos de articulação inanimados.

Stop-motion tem sido uma arte perdida desde que começou. Stop-motion é absolutamente a animação mais incrível e exaustivamente exigente, e é feita apenas por um grupo de pessoas completamente estranhas que a sustenta, repetidamente. O vínculo entre a marionete e o animador é tão incrivelmente bonito e sagrado.

Guillermo del Toro - Pinóquio
Imagem; Divulgação

Um filme biográfico sobre paternidade

De acordo com del Toro, o seu Pinóquio é uma história que foca na paternidade, e uma biografia com as observações que ele teve do seu próprio pai enquanto ele crescia:

O filme evoluiu ao longo de uma década e meia, foi se desenvolvendo, e a parte importante para mim era falar sobre ser pai e as coisas que observei. Meu pai faleceu depois de A Forma da Água. Acho que a beleza é, há uma bela simetria no filme. É um pai que implora por outra chance para seu filho. Ele consegue o filho e não o reconhece, porque não é o filho do jeito que ele gostaria que fosse. E há várias histórias paternas no filme e diferentes tipos de figuras paternas. Isso se multiplica ao longo da trama à medida que avança.

Nessa idade, só quero fazer as m****s que tenho que fazer. Tenho mais de 30 anos de carreira. Fiz o filme para mim. Tenho 58 anos, sou gordo. Então eu tenho o quê? Se eu fizer um filme, farei porque significa alguma coisa. Para quem assiste ao filme é uma filmografia, mas para mim é uma biografia. Estou orgulhoso do resultado.

Pinóquio está com sua estreia marcada para 9 de dezembro na Netflix. Confira o teaser: