Tensão MÁXIMA: filme escondido de guerra com Tom Hanks é ELETRIZANTE!

Tom Hanks em ação: descubra este eletrizante filme de guerra!

“Greyhound”: um filme de guerra linear, enxuto e de tirar o fôlego

Existem poucos filmes que cumprem tudo o que prometem, especialmente quando o que prometem não é algo grandioso ou inovador. Um desses raros casos é “Greyhound“, um filme protagonizado e roteirizado por Tom Hanks, baseado no livro “The Good Shepherd”, de C. S. Forester.

Um retrato inesquecível e aguçado da 2ª Guerra Mundial, a trama se desenrola de modo tão simples e direto que faz você respirar o clima de tensão dos navios contratorpedeiros e sentir como se estivesse no meio do confronto. Vamos agora entender um pouco mais sobre essa obra.

Tom Hanks
Imagem: reprodução/ Youtube/Sony Pictures Entertainment

LEIA MAIS:

TERROR: filme sul-coreano de zumbi é a definição do medo moderno!

Descubra por que este dorama de fantasia ÉPICO vai te fazer rir e se emocionar!

Um mergulho na batalha do Atlântico com Tom Hanks em destaque

Centralizado na Batalha do Atlântico, onde comboios levando suprimentos para o Reino Unido eram incessantemente caçados por submarinos alemães, o filme cativa a partir da perspectiva do USS Greyhound. Este era um destróier de escolta, cuja única missão era proteger os comboios de ataques no meio do Atlântico.

Tom Hanks dá vida ao Comandante Ernest Krause, um homem dedicado, justo e extremamente competente, mas que se vê frente a frente com uma missão quase impossível. A partir do momento em que o comboio deixa o alcance das aeronaves decolando de solo americano, eles estão à mercê dos temidos U-Boats no meio do Atlântico.

“Greyhound” é um filme focado em manter uma narrativa tensa e estressante, sem utilizar longos diálogos expositórios ou reflexões sobre a guerra. O enredo se prende à luta diária pela sobrevivência, em um cenário onde cada decisão pode significar vida ou morte.

Qual a originalidade de Greyhound?

A verdadeira força de “Greyhound” está na sua habilidade única de sustentar um clima eletrizante da primeira à última cena, mesmo sem revelar fisicamente o adversário. A ameaça nazista é apresentada unicamente através de transmissões de rádio, eliminando a necessidade de personificar o inimigo.

Uma crítica comum dirigida ao filme é a ausência de profundidade nos personagens e na trama. No entanto, é importante enfatizar que o coração do filme é a representação da tensão e ambiguidade da guerra, priorizando o puro instinto de sobrevivência.

Impressionantemente, “Greyhound”, estrelado por Tom Hanks, foi realizado com um orçamento relativamente baixo para um filme de guerra, de 50 milhões de dólares. Ainda assim, o filme não economiza em qualidade e realismo, em grande parte devido ao uso do USS Kidd, um destróier real da Segunda Guerra Mundial que agora serve como museu.

“Greyhound” é impressionante em sua simplicidade e o desafio proposto é entregue de forma eficaz: trazer a tensão da batalha naval da 2ª Guerra e do comando de um destróier frente a ameaças quase intransponíveis. Vale a pena conferir, um filme com Tom Hanks em destaque, mas garanta que seu coração esteja preparado para a tensão.

Comentários do Facebook