Entre risos e tradições: comédia DIVERTIDA na Netflix celebra a cultura judaica!

Risadas e ressonâncias culturais!

Comédia da Netflix “O Despertar de Motti”: uma jornada em busca da identidade individual

Imerso em um universo marcado por tradições e expectativas, Motti embarca na jornada da sua vida com o objetivo de descobrir quem realmente é. o filme da NetflixO Despertar de Motti“, dirigido por Michael Steiner e escrita por Thomas Meyer, traz uma trama que explora a identidade, relações familiares problemáticas e a pressão de uma comunidade cheia de tradições e normas rígidas. O filme da netflix, que foi a submissão suíça para o Oscar de melhor filme internacional em 2019, ainda que não tenha sido nominado, tem se destacado como um exemplo de comédia dramática que utiliza estereótipos para construir comicidade.

Na história, o jovem Motti, interpretado por Joel Basman, passa por diversas situações emblemáticas da vida de um judeu ortodoxo comum. Sob a forte influência de sua mãe, que anseia em vê-lo casado com uma boa moça da comunidade judaica, Motti se depara com uma série de “shiducs” (casamentos arranjados) e percebe que não compartilha do mesmo entusiasmo de sua família em relação a essas tradições.

Netflix

LEIA MAIS:

Amadurecimento e romance: dorama ENCANTADOR tem toques de De Repente 30!

Você é Minha Primavera: dorama de romance e intriga provocou discussões!

Questionamentos e rupturas: a transição de Motti

Incomodado com as expectativas depositadas sobre ele, Motti encontra em Michal, vivida por Lena Kalisch, uma aliada para encenar um falso noivado visando ter uma pausa nos rituais de casamentos forçados. Nesse contexto, a figura de sua mãe se torna uma repulsa, pois vê nela o reflexo das garotas de sua comunidade. Seu coração, contudo, pulsa por Laura (Noémie Schmidt), uma colega de faculdade sem raízes judaicas.

Apaixonado por Laura, Motti inicia um processo de desconstrução de suas tradições. Ele remove a barba, adota óculos mais modernos e inicia um guarda-roupa menos social. Um emaranhado de emoções e questionamentos o levam a Israel, onde é exposto a uma faceta secular da sociedade em Tel Aviv. Lá, ele conhece Jael (Meytal Gal Suisa), uma mulher independente com a qual explora sua sexualidade.

Comedia Netflix “O Despertar de Motti”: crítica ou reflexão?

O filme da Netflix “O Despertar de Motti” propõe uma reflexão sobre a pressão social e parenteral vivenciada por muitos jovens, independente de sua cultura ou religião. A cruzada de Motti em busca do seu “eu” verdadeiro, e suas tentativas de se rebelar contra condições pré-estabelecidas implicam em conflitos intensos, principalmente com sua mãe rigida e controladora, Judith (Inge Maux).

Ao retornar à Suíça, Motti, agora mais experiente e consciente de seus desejos, reencontra Laura e decide apresentá-la a seus pais, causando uma situação de completo caos. Este, contudo, é o estopim para que Motti assuma o controle de sua vida e encontre os caminhos que mais anseia na vida.

O filme vale a pena?

Passeando entre idiomas e questionamentos profundos sobre identidade e tradição,o filme da Netflix “O Despertar de Motti” oferece uma narrativa envolvente, recheada de momentos de tensão e comicidade. Embora faça uso de estereótipos para conduzir a trama, a história é cativante e consegue envolver o telespectador do início ao fim. A transição de Motti é a manifestação da busca humana pelo próprio eu e pelo direito incontestável de ser quem você é. Com uma pitada de humor e drama, o filme é um convite à reflexão e um aceno à liberdade individual.

 

Comentários do Facebook