Siga-nos também em

Artigo

A era das sequências e a falta de novidade no cinema

Nos últimos tempos, o cinema tem nos apresentado um excessivo número de sequências de filmes famosos.

 

Durante muito tempo, apreciamos obras do cinema que acabaram virando clássicos e até hoje atraem fãs. Não importa quanto tempo passe.

Mas chegou uma hora em que o cinema virou um mercado tão lucrativo e tão focado no lucro, que se esqueceu de apresentar idéias novas, histórias novas e talentos novos.

E não são apenas sequências, os reboots também facilitam na hora de fazer dinheiro em Hollywood.

 

 

Podemos perceber isso apenas observando os lançamentos de 2017, já que mais ou menos 30 dos quase 65 filmes lançados ou que serão divulgados, são sequências ou reboots. Exemplo disso são os recentes Guardiões da Galáxia vol. 2, Velozes e Furiosos 8, A escolha perfeita 3, Star Wars ( Episódio VIII) – Os últimos Jedi e etc.

 

Isso quer dizer que em um ano, quase metade dos filmes lançados foram com a intenção de levar fãs e admiradores para o cinema. O que não quer dizer que seja algo ruim, já que as pessoas gostam de ir ao cinema para ver esses filmes, e as bilheterias dos últimos anos têm batido recordes.

 

Há uma pesquisa que diz que o cinema tem se tornado menos atrativo. Talvez o fato de as pessoas não terem mais curiosidade ir ver um filme, os serviços de streaming e os preços, claro, sejam o motivo das cadeiras vazias nas salas.

 

 

Não será ruim se os nossos heróis, personagens, e sagas continuarem nos acompanhando ao longo do tempo. Mas será que realmente precisamos de tantos filmes de uma mesma franquia? Ou reboots de nossos clássicos? Ou até mesmo, será que vai demorar para termos uma nova saga para nos apaixonarmos?

 

Vamos esperar Hollywood dar oportunidade para novas histórias. Enquanto isso ficamos aguardando ansiosos por aquelas já amamos.

Comentários via Facebook

Publicitária, aspirante a cineasta e movida a café e literatura. Passa madrugadas presa a livros de literatura fantástica e séries online. Sonha em escrever o próprio livro, onde juntará todos os elementos que mais ama em uma história só. Ama cinema, videogame, livros de colorir para adultos e é bailarina profissional em jogos de dança. Tem uma fixação inexplicável (diria até meio psicótica) por Jon Snow.

Mais lidas