Siga-nos também em

Filmes

3 filmes coreanos para quebrar seu preconceito

3 filmes coreanos para quebrar seu preconceito

Quebre seu preconceito em três filmes coreanos

 

Se você assiste a filmes coreanos, certamente já se deparou com alguém torcendo o nariz quando recomendou algum longa.

Seja pelo preconceito com o idioma ou mesmo com a estrutura asiática de filmagem, sempre tem alguém que perde a oportunidade de ter uma incrível experiência ao negar um filme coreano.

Por isso, aí vão algumas recomendações para você perder seu preconceito em 3 filmes.

 

 

Invasão Zumbi (Busanhaeng)

 

 

Conhecido também como Trem para Busan, esse filme de 2016 sul-coreano é a pedida perfeita para você que é fã do gênero bioharzard, mas quer fugir do clichê. O filme consegue te emocionar ao mesmo tempo em que te coloca em uma história eletrizante e eufórica.

O filme segue um pai de família obcecado pelo trabalho, que se vê em situação extrema ao entrar a bordo de um trem que sai de Seul para Busan, em meio a um vírus que se alastra na população afora no exato momento da viagem. O vírus transforma as pessoas em zumbis, deixando-as sedentas por carne humana.

Dirigido por Yeon Sang-ho e estrelado por Gong Yoo e Jung Yu-mi, o título participou do Festival de Cannes em 2016, e chama atenção pela mescla inteligente de drama familiar com thriller bioterrorista.

Hope (So-won)

 

 

Prepare o lenço.

Hope, conta a saga da garotinha Im So-Won, que de maneira brutal é violentada sexualmente após ser abordada em seu trajeto para escola. Só a sinopse inicial, já é o suficiente para causar impacto nos corações mais frágeis. Mas diferente de outros filmes do gênero, a dor provocada pelo desenrolar do enredo é capaz de atingir as emoções até dos mais fortes.

A interpretação e caracterização são tão convincentes a ponto de por vezes ser confundida com fatos reais: a maquiagem usada nas feridas, os ambientes e o clima, a evolução dos personagens, tudo é arquitetado de maneira sagaz para que o filme seja impactante exatamente pelas sutilezas e detalhes.

Dirigido por Lee Joon-ik e elenco contando com Lee Re, Hae-suk Kim, Sang-ho Kim e Kyung-Gu Sol, o título é baseado no caso real Nayoung, ocorrido em 2008.

Você pode saber mais sobre Hope, clicando em nosso review, presente aqui no site.

Silenced (Dogani)

 

 

Silenced foi um filme de drama sul-coreano de 2011, baseado no romance homônimo de Gong Ji-young, estrelado por Gong Yoo e Jung Yu-Mi. É baseado em eventos reais que ocorreram na escola Gwangju Inhwa para deficientes auditivos, onde jovens estudantes surdos foram vítimas de repetidas agressões sexuais por membros do corpo docente durante um período de cinco anos no início dos anos 2000.

A história narra a saga de um professor até então desempregado, que vê na função uma oportunidade de voltar a prover a família, com destaque para sua filha, que sofre graves problemas respiratórios. Ao presenciar abusos violentos com os alunos deficientes auditivos, Kang In-ho, o professor, se vê em constantes e perigosos dilemas que podem colocar em risco seu único emprego e meio de sustento.

Com um elenco em sua grande parte infanto-juvenil, o filme coloca os atores em cenas fortes e desafiadoras, que são respondidas com um show de interpretação.

O filme provocou clamor público sobre decisões judiciais brandas, levando a polícia a reaver questões que privilegiava os criminosos e desmerecia os vulneráveis.

 

“Nos últimos anos, não vimos quase nenhum filme sul-coreano que examinasse ativamente o estado de nossa sociedade, os valores do que é certo e o que precisamos fazer da maneira que o Silenced faz.” – Ahn Si-hwan, crítico de cinema.

 

Na Coréia, o filme ainda ficou em 1º lugar por três semanas consecutivas.

 

 

Atuais e com narrativas que chamam a atenção, os recentes filmes coreanos são a pedida certa para quem deseja expandir seus horizontes e ganhar repertório com verdadeiras obras cinematográficas.

Vale a pena arriscar.

 

 

Comentários via Facebook

Radialista formado se especializando em direção de arte. Sagitariano, sonhador levando a vida buscando paz, amor e um lugar ao Sol. Cinéfilo, aspirante a roteirista. Aquele otaku paulistano que vê animes nas horas vagas, lê mangás no transporte público e faz cosplays pra tirar uma onda. Geek por consequência. Sucesso é uma jornada, não um destino, tenha fé na sua capacidade, esse é meu lema.

Mais lidas