Conectar-se com

Artigo

Coringa | Todd Phillips e Joaquin Phoenix recolocam a DC no jogo

Publicado

Em

Coringa | Todd Phillips e Joaquin Phoenix recolocam a DC no jogo

 

Pode me apresentar como Coringa

 

Finalmente o tão aguardado Coringa chega aos cinemas e pudemos conferir o trabalho do diretor Todd Phillips e a incrível atuação de Joaquin Phoenix. Preparamos um breve artigo sobre as primeiras impressões sobre a nova obra da DC. Mas antes iremos falar sobre a origem do Coringa nos quadrinhos.

 

 

Basta apenas um dia ruim para nascer um vilão

A principal citação sobre a origem de um dos maiores vilões da DC está na HQ A Piada Mortal. Nesse episódio, durante a tentativa de enlouquecer o comissário Gordon, após ter atirado em sua filha, ocorre um flashback sobre como surgiu o Coringa. Na ocasião, é mostrado aquele que seria o pior dia na vida de Joe, um comediante fracassado. Como se não bastasse, por conta de dificuldades financeiras, ele decide participar de um assalto, para que pudesse sustentar sua esposa grávida. Ainda que não estivesse convencido de participar da ação, ele acaba participando por conta de uma ameaça de morte. Além disso, momentos antes ele recebe a notícia de que sua esposa e filho haviam morrido em seu apartamento.

Portanto, ainda de já ter um dia perfeitamente terrível, Joe foi obrigado a seguir com o plano do assalto. No entanto, durante o ato, o Batman aparece para impedir a ação. Assim, para escapar do vigilante de Gotham, Joe mergulha num tanque de produtos químicos. Então, após sofre os efeitos catastróficos do produto químico no seu organismo, ao ver o próprio reflexo, enlouqueceu de vez. Dessa maneira, foi que se deu o nascimento do maior vilão da DC.

 

Coringa | Todd Phillips e Joaquin Phoenix recolocam a DC no jogo

 

Já na HQ Hora de ninar, macaco, onde ele adota o Capetorila (filhote gorila) como filho, temos um vislumbre do que seria a infância do Coringa. Em mais um flashback, temos um vislumbre de alguém que desde cedo experimentou o pior dos seres humanos. A começar pelos maus tratos de sua tia Eunice, que aplicava diversos castigos físicos, como o esfregar com água sanitária, surras e diversas vezes que passava fome. Para piorar, no colégio ele sofria bullying por ser considerado estranho.

Como seria um Coringa no mundo real

Há alguns meses atrás, o diretor Todd Phillips já havia dito que o filme não seria uma adaptação dos quadrinhos, o que gerou uma certa apreensão. Embora ele não siga as HQs, pelo menos não diretamente, suas referências estão lá. O tão esperado longa sobre o Coringa tem como principais referencias filmes como O Rei da Comédia, O Homem que Ri e tem como plano de fundo uma Gotham da década de 80, inspirada na Nova York da mesma época.

Diferentemente de hoje, a Big Apple dos anos 80 enfrentava diversos problemas. O maior deles era a desigualdade social, que resultava em desemprego, diversas regiões da cidade abandonadas e violência. Inclusive, essa atmosfera pode ser vista em filmes como Taxi Driver e nas séries The Get Down e Hip Hop Evolution.

Assim, desde os primeiros minutos acompanhamos a vida de Arthur Fleck e as diversas formas de agressões que o personagem sofre nessa cidade. Como se não bastasse, Arthur sofre de distúrbios psicológicos que o faz rir ainda que esteja triste. Então, ocorre uma espiral caótica de fatos, como uma surra, demissão de um emprego e até a revelação de traumas de infância. Com isso, o filme retrata de forma mais realista o que seria necessário para que alguém se tornasse um vilão. Dessa forma, a origem do Coringa nesse filme é uma experiência que ultrapassa o entretenimento, podendo servir como uma reflexão para diversas situações que ocorrem hoje em dia.

 

Todd Phillips criou o projeto, Joaquin Phoenix executou

Na contramão das super produções recentes, o filme Coringa é de baixo orçamento, o que permite uma maior liberdade para o diretor. Com isso, Todd Phillips conseguiu espaço para fazer um estudo sobre o personagem, tal como um episódio especial. Para dar conta dessa missão, contou com ninguém menos que Joaquin Phoenix, que mergulhou de cabeça na interpretação do personagem. O resultado dessa interação foi uma verdadeira montanha russa de emoções, pois você não sabe o que pode acontecer na cena seguinte.

Outro ponto bem retratado foi como a atmosfera de Gotham afetava a todos, seja por uma surra em um palhaço ou pelo mal humor de uma mãe no ônibus. Porém, o mais perturbador foi como um crime acabou inspirando a todos os habitantes. Talvez essa seja a maior crítica do filme, tempos de crise podem deixar pessoas ainda mais violentas ou propensas a ações insanas. Se de um lado temos um personagem se degenerando rapidamente, do outro a cidade em si parece passar pelo mesmo processo. Logo, esse é um dos motivos pelos quais torna o longa tão difícil de assistir, por vezes, parece que estamos enlouquecendo junto.

 

Coringa | Todd Phillips e Joaquin Phoenix recolocam a DC no jogo

 

DC está de volta ao jogo

Para quem está acostumado com a ideia de universo compartilhado, esqueça! Phillips já deixou bem claro que a ideia sempre foi fazer apenas um filme, ou seja, Coringa tem início, meio e fim. Contudo, nada impede que seus acontecimentos possam reverberar nos próximos filmes da DC. A grande verdade é que, após quase uma década sendo coadjuvante no cinema, parece finalmente ter acertado o caminho.

 

Comentários via Facebook

Um geólogo nascido no Rio. Apaixonado por filmes, séries, videogame. Produtor de stories no Instagram. curioso pra caramba. Não sei muito bem o que tô fazendo aqui, me convidaram porque devo ser legal, nunca saberei.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda

Canal Trecobox |

Propaganda
Propaganda
Propaganda

Facebook |

Propaganda

Mais lidas

Copyright © Trecobox 2019 desenvolvido por: VISUALS