Conectar-se com

Artigo

5 obras de ficção científica escritas por mulheres

Publicado

Em

5 obras de ficção científica escritas por mulheres

Porque mulheres também escrevem ficção científica (e muito bem!)

 

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, listamos 5 dentre inúmeros livros do gênero ficção científica escritos por mulheres, afinal, hoje é um dia importante para celebrarmos a luta das mulheres por igualdade, respeito e reconhecimento. Na literatura, assim como em muitas outras áreas, as mulheres sempre foram invisibilizadas. Muitas obras escritas por mulheres foram publicadas sob pseudônimos com o pretexto de que literatura feita por mulheres não vende. É fato que esse cenário mudou graças a luta pela emancipação feminina. Se hoje as mulheres podem escrever, ler e publicar livros, é porque no passado muitas lutaram por essa causa.

Pensando nisso, listamos 5 dicas de livros de ficção científica, um gênero predominantemente masculino, para que vocês possam conhecer, consumir e divulgar a literatura feita por mulheres. Confira abaixo:

 

1 – Os Despossuídos (Ursula K. Le Guin)

 

5 obras de ficção científica escritas por mulheres

 

Sinopse: Ganhador do prêmio Nebula de melhor romance em 1974, além do Hugo e do Locus em 1975, Os Despossuídos lida com temas fundamentais a sua época, como o capitalismo, o comunismo russo e o anarquismo, além dos conceitos de individual e coletivo. O romance se passa em dois planetas-gêmeos, Uras e Anarres, com sistemas políticos opostos e prestes a entrar em guerra, numa alusão à Guerra Fria.

Ursula K. Le Guin foi uma escritora estadunidense com uma longa e premiada carreira. Ela chegou a publicar mais de 100 obras, entre contos, ensaios, romances e poemas. Em seus últimos anos de vida, foi considerada “a maior escritora viva de ficção científica dos Estados Unidos“. Le Guin faleceu em janeiro de 2018, aos 88 anos.

 

2 – Frankenstein (Mary Shelley)

 

5 obras de ficção científica escritas por mulheres

 

Sinopse: Duzentos anos após sua criação, Frankenstein continua vivo – e mais atual do que nunca. Um cientista obcecado que desafia as leis da natureza e põe em risco a vida daqueles que ama. Uma criatura quase humana que deseja ser um de nós, mas só encontra medo, ódio e morte pelo caminho.

Mary Shelley foi uma escritora britânica, filha de intelectuais da época. Seu pai era o filosofo William Godwin, e sua mãe era a feminista Mary Wollstonecraft. Foi durante uma aposta entre amigos que Mary Shelley começou a desenvolver aquele que veio a transformar-se no precursor da ficção científica no mundo. Frankenstein, ou O Prometeu Moderno foi lançado originalmente em 1818 e desde então ronda o imaginário popular.

 

3 – Kindred – Laços de Sangue (Octavia E. Butler)

 

5 obras de ficção científica escritas por mulheres

 

Sinopse: Em seu vigésimo sexto aniversário, Dana e seu marido estão de mudança para um novo apartamento. Em meio a pilhas de livros e caixas abertas, ela começa a se sentir tonta e cai de joelhos, nauseada. Então, o mundo se despedaça.

Dana repentinamente se encontra à beira de uma floresta, próxima a um rio. Uma criança está se afogando e ela corre para salvá-la. Mas, assim que arrasta o menino para fora da água, vê-se diante do cano de uma antiga espingarda. Em um piscar de olhos, ela está de volta a seu novo apartamento, completamente encharcada. É a experiência mais aterrorizante de sua vida… até acontecer de novo. E de novo.

Quanto mais tempo passa no século XIX, numa Maryland pré-Guerra Civil – um lugar perigoso para uma mulher negra –, mais consciente Dana fica de que sua vida pode acabar antes mesmo de ter começado.

Octavia E. Butler foi uma escritora estadunidense de ficção científica conhecida principalmente por inserir questões raciais em suas obras. O conceito de “afrofuturismo” se faz presente em todas as suas narrativas, que são sempre muito detalhadas e repletas de questões pertinentes para os dias atuais. Butler carrega a alcunha de “a grande dama da ficção científica“, e faz jus ao título.

 

4 – As águas-vivas não sabem de si (Aline Valek)

 

5 obras de ficção científica escritas por mulheres

 

Sinopse: A três mil metros de profundidade, o oceano é um mundo sem luz, cheio das mais curiosas formas de vida e em sua maior parte inexplorado para quem vive na superfície. É nesse ambiente que mergulha Corina, flutuando no escuro como um astronauta no espaço, do jeito que gosta: cercada de água. Mas também perseguida pela sensação de que não deveria estar ali. Está sendo observada? Corina faz parte de uma equipe que pesquisa os arredores de uma zona hidrotermal com o objetivo de testar trajes especiais de mergulho. Cinco pessoas trabalhando isoladas, da superfície e umas das outras, numa estação a trezentos metros de profundidade. Como o abismo diante delas, escuro e insondável, cada uma dessas pessoas tem algo a esconder. Incapaz de afogar uma doença que pode pôr tudo a perder, Corina se vê obrigada a enfrentar seus dilemas e os dos colegas, em uma expedição liderada por um cientista com uma obsessão: encontrar inteligência no fundo do oceano.

Uma história sobre mergulhar na solidão e ao mesmo tempo se cercar das vozes que pulsam no oceano. Uma história que convida a suspender o fôlego e a ouvir. Uma história que lança a inquietante dúvida: se as águas-vivas não sabem de si, sobre o que sabem então?

Aline Valek é uma escritora e ilustradora brasileira. As águas-vivas não sabem de si foi lançado em 2016 e é o primeiro romance da escritora que abandonou a carreira publicitária para dedicar-se à literatura. Valek é de Governador Valadares e tem 32 anos.

 

5 – Fullmetal Alchemist (Hiromu Arakawa)

 

5 obras de ficção científica escritas por mulheres

 

Sinopse: Edward e Alphonse Elric são jovens alquimistas que estão em busca da lendária Pedra Filosofal para recuperarem os seus corpos. Ouvindo rumores sobre ela, os irmãos Elric vão para uma cidade profundamente devota ao seu Deus e àquele que divulga sua fé, o Pai Cornello. Este religioso tem praticado atos milagrosos que mais se parecem com transmutações alquímicas, e investigando a origem de tais milagres eles conhecem Rose, uma garota que busca na religião a esperança de rever seu amado. A jornada dos irmãos Elric que desafiará os limites da fé e da ciência começa aqui!

Não poderia deixar de encaixar Fullmetal Alchemist nesta lista, a obra máxima da japonesa Hiromu Arakawa. É importante destacar o trabalho de Arakawa não só pela história impecável, mas por ela ter conseguido se destacar com a publicação de um mangá shonen (para meninos) em um mercado dominado por homens. Arakawa recebeu diversos prêmios, incluindo o “Prêmio Cultural Osamu Tezuka” na categoria “Artista Revelação“.

 

A equipe Trecobox deseja um feliz Dia Internacional da Mulher para todas as leitoras, e que o respeito esteja presente não só hoje, mas todos os dias.

Comentários via Facebook

Contadora (de números e histórias). Aquariana típica, meio futurista, meio démodé. Amante do universo literário e da cultura japonesa. Sempre com um livro e um mangá na bolsa, sonhando acordada a cada página virada. Apreciadora do bom e velho rock n roll. Filmes, animes, séries e um bom jogo de futebol também fazem parte dos meus dias. Acredito fielmente que feito é melhor do que perfeito.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mais lidas

Copyright © Trecobox 2019 desenvolvido por: VISUALS