Conectar-se com

Artigo

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

Publicado

Em

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

 

É bom avisar antes: alerta de spoilers!

 

Que Vingadores: Guerra Infinita já é o maior sucesso de bilheteria da história da Marvel nós já sabemos. Porém, isso não significa que nós amamos incondicionalmente todos os mínimos detalhes que o filme nos mostra.

Assim como qualquer outro filme, o mais recente blockbuster da produtora possui sim seus pontos alto e baixos. E, como o gosto de cada um é igual c* diferente, a nossa equipe aqui da Trecobox também não conseguiu chegar a uma decisão unânime sobre o assunto. Desta forma, fizemos um compilado geral e listamos aqui o que nós amamos (e o que odiamos) sobre o novo filme dos Vingadores. Vamos lá!

 

O trailer mentiroso do filme (odiamos):

Alguém reparou que, nos trailers do filme, o Hulk aparece correndo na Batalha de Wakanda? Onde estava esta cena no filme? Além disso, outras cenas exibidas nos trailers e em materiais de divulgação simplesmente não aparecem no filme. Nós até entendemos que, no caso das grandes produções cinematográficas, essas “mentiras” são necessárias para evitar spoilers antes do lançamento de um filme. Mas que bate aquele pequeno ódio nos nossos coraçõezinhos, ah bate!

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

Podemos ver nitidamente o Hulk correndo ao lado dos demais heróis. Isso foi bem frustrante…

 

Os heróis que amamos combatendo no mesmo filme (amamos):

Nunca um filme da Marvel reuniu tantos heróis por tanto tempo em um único longa. Chega a bater aquele sentimento nostálgico ao vermos as cenas de combate e como suas habilidades se complementam. Destaque para a cena onde Homem de Ferro, Homem-Aranha, Doutor Estranho e os Guardiões da Galáxia se unem para enfrentar Thanos em Titã.

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

 

Alguns alívios cômicos (odiamos):

Eu consigo ficar tão parado, que me torno invisível“. Sério isso? Claro Drax, por que você não aproveita e fica invisível num canto o resto do filme todo? Infelizmente, certos alívios cômicos são tão mal colocados que chega a dar vergonha alheia dos personagens. Poucos são os que salvam, como o trocadilho feito por Okoye sobre “abrir as portas de Wakanda”.

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

Peter Quill deu um show de incompetência como um herói durante todo o filme.

 

Bruce Banner mostrando que não é só Hulk (amamos):

Agora foi a vez do cientista magro e mirrado arregaçar as mangas e partir pra briga, mostrando que o personagem é muito mais do que um Hulk. Não vamos aqui teorizar os motivos pelos quais o verdão se recusou a aparecer, mas até que Bruce Banner se virou bem sem ele, não é mesmo?

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

 

As cenas de CG que envolviam armaduras (odiamos):

O fato do gigante verde não querer sair pra pancadaria até dá pra entender. Ruim mesmo foi ter que ver a cabeça minúscula do Bruce Banner flutuando desconexa na Hulkbuster em um CGI pra lá de mal finalizado. Pode até ser que vocês não tenham reparado, mas aquela cabeça estava definitivamente esquisita!

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

 

As interações de Tony Stark com outros personagens (amamos):

As interações entre o Homem de Ferro e alguns personagens dos mais remotos e diferentes cantos do universo da Marvel foram espetaculares! Do Doutor Estranho ao Senhor das Estrelas, o personagem mostrou seu melhor estilo “Tony Stark” de agir.

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

Tony Stark conseguiu manter todo o seu jeitão, mesmo interagindo com outros heróis que nem ao menos conhecia.

 

A “morte” do Homem-Aranha (odiamos):

Foi realmente difícil ver um personagem tão carismático como Peter Parker se dissolvendo em cinzas (e choro) num estalar de dedos do Titã. Definitivamente uma das cenas mais comoventes dos filmes da franquia. Cá entre nós, quase chegou a cair uma lágrima durante a sessão no cinema.

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

 

Peter Quill sendo um completo babaca inútil (odiamos):

A saga Guardiões da Galáxia gasta um tempão amadurecendo o personagem do Senhor das Estrelas. Em nenhum momento do filme vimos o personagem tomar qualquer atitude pró-ativa ou que realmente ajudasse a deter a ameaça de Thanos. Tudo que vimos foram piadas horríveis e ações inconsequentes que, podemos dizer, até dificultaram o trabalho dos heróis. Já que o cara salvou a galáxia 2 vezes, podia ao menos ter amadurecido um pouco! Em todas as cenas em que Peter Quill apareceu na tela, outra pergunta pairava no ar: que diabos de bigodinho é esse?

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

 

O lado humano do Titã Louco (amamos):

Ok, ele pode até ser um maníaco genocida. Mas ele também tem a capacidade de ser razoável, como quando ele honra seu acordo em deixar Tony Stark vivo. Quando Thanos diz que gosta do Senhor das Estrelas, você até acredita nele. Ele até nos passa um sentimento de tristeza quando sacrifica Gamora para conseguir a Jóia da Alma.

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

Apesar de suas reais intenções no filme serem bem diferentes das apresentadas nos quadrinhos, o vilão cativa todos nós por demonstrar sentimentos.

 

A única cena que prestou do Groot (amamos):

Depois de passar praticamente o filme todo resmungando e indiferente à tudo ao seu redor (como qualquer adolescente), Groot desempenha um papel fundamental na história. Ele corta parte do seu braço para formar a haste do machado Stormbreaker, que seria posteriormente empunhado por Thor. Ah, por isso que ele estava lá!

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

 

A “síndrome de Dragon Ball” (odiamos):

Este é um termo que criamos para explicar um problema comum quando falamos de super poderes: o fato de sempre haver um inimigo mais forte. Quais são os limites para os poderes dos heróis e vilões? Quando não se pode mais mensurar o tamanho da destruição que um personagem é capaz, a luta perde o sentido. Se você tem o poder de dizimar metade do universo, por que perder tempo lutando?

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

 

A mulherada mandando muito nos combates! (amamos):

Durante a Batalha de Wakanda presenciamos a general Okoye, a Viúva-Negra e a Feiticeira Escarlate unindo forças para derrotar Próxima Meia-Noite, um dos generais de Thanos. As cenas de combate são incríveis e deixam muitas outras no chinelo! Essas mulheres estão com tudo!

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

 

A referência ao filme Alien, O Resgate (amamos):

Dentre os muitos easter eggs que podemos ver no filme, um que amamos faz referência ao filme Alien, O Resgate (1986). Durante a batalha no espaço, os personagens bolam um plano ousado inspirado nos acontecimentos do filme de James Cameron.

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

 

A ausência de alguns personagens (odiamos):

O que aconteceu com o resto dos Asgardianos? Onde estariam a Valquíria e Korg durante a emboscada das naves? E ainda, no primeiro Guardiões da Galáxia nós passamos praticamente o filme todo conhecendo a Tropa Nova. Como Thanos conseguiu eliminá-los e obter a Jóia do Poder? Tomara que estas perguntas sejam respondidas no próximo filme.

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

Alguns personagens foram completamente esquecidos.

 

O novo “brinquedo” do Thor (amamos):

No filme podemos acompanhar a fabricação da nova arma do Deus do Trovão, o machado Stormbreaker. Thor finalmente alcança o auge do seu poder divino e chega quebrando tudo na Batalha de Wakanda. Sem dúvida, fazendo jus ao título de “homão da p%$#@”.

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

O poder máximo de Thor é de encher os olhos.

 

A morte de Gamora (odiamos):

O filme coloca um peso muito grande sobre a morte da personagem, mas podemos dizer que seu arco não foi muito bem elaborado. Gamora foi um personagem cujo passado foi pouco explorado em Guardiões da Galáxia, e sentimos que a história apresentada em Vingadores: Guerra Infinita não cativa como o esperado.

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

Gamora é uma super personagem que não teve o seu devido valor.

 

A barganha feita pelo Doutor Estranho (odiamos):

Não é possível que dentre 4 milhões de futuros possíveis a única saída seria entregar a Jóia do Tempo para o Thanos. Poupar o Homem de Ferro seria justificativa suficiente ao custo de metade das vidas de todo universo? Não parece um acordo muito vantajoso. Enfim, só saberemos a resposta para este dilema no próximo filme (ou no seguinte).

 

 

Ter que esperar um ano por Vingadores 4 (amamos e odiamos):

Com tantas perguntas sem resposta, os fãs terem que esperar um ano inteiro pelo próximo filme soa um tanto injusto. Principalmente quando metade dos seus heróis favoritos (e do universo) estão “mortos”. Porém, temos que dar o crédito ao filme como um todo pelo sucesso de público e por deixar o hype elevado para sua continuação. Um verdadeiro mix de amor e ódio!

 

Vingadores: Guerra Infinita | Razões para amar e odiar o novo longa da Marvel

A espera por Vingadores 4 é sem sombra de dúvidas torturante. Todos nós queremos saber o que aconteceu de fato com nossos heróis que viraram poeira, não é mesmo?

 

 

E você? Concorda ou discorda da nossa lista? Deixa aí nos comentários o que você achou do filme!

Nos vemos na próxima!

 

Comentários via Facebook

Tatuagens e jogos eletrônicos. Duas palavras definem perfeitamente este carioca que, por sinal, não faz a menor ideia de como escrever a própria bio. Um menino metodicamente organizado, prefere o aconchego do sofá e uma boa série a uma noitada com os amigos (mas não recusa o convite). O típico garoto gordinho e viciado em vídeo game que cresceu e se tornou um adulto nerd (ainda gordinho, por sinal).Voar, hospitais e quartos escuros são seus três grandes medos. Às vezes ele os enfrenta, às vezes não (se for um quarto escuro NO hospital, pode esquecer). Faz uso excessivo dos parênteses, pois adora expressar sua opinião sobre as coisas. Afinal, quem não?

Mais lidas

Copyright © Trecobox 2019 desenvolvido por: VISUALS