Conectar-se com

Artigo

História dos Quadrinhos | Era de Ouro Pt II: A Ascensão Super Heróica e as Parcerias

Publicado

Em

História dos Quadrinhos | Era de Ouro Pt II: A Ascensão Super Heróica e as Parcerias

Continuando a história dos quadrinhos de uma maneira bem pessoal para você caro leitor…

 

Como disse no texto anterior, mesmo não sendo o primeiro “super ser” da ficção (ou mesmo dos quadrinhos), Super-Homem foi o pioneiro e influenciador de todos os outros personagens do gênero que vieram depois. Sendo assim, o personagem mais importante dos quadrinhos e, arrisco eu, uma das maiores criações do século. Quiçá da história. Mas vou deixar meu lado fanboy do azulão pro texto não ficar mais extenso que o necessário (tomara que consiga me controlar também quando for falar do Capitão Fraldinha).

 

 

Depois de Actions Comics 1, tudo o que você imaginar de cópias do Superman, seres com poderes e super fantasiados surgiram de todos os lugares, mas nenhum relevante, ao menos até 39, quando Bob Kane (um proto Stan Lee por assim dizer) trouxe a vida, juntamente com Bill Finger, o Batman. Um humano comum que, após o trauma de perder os pais diante dos seus olhos decide combater o crime. E logo se tornou “dono” da revista Detective Comics e se igualava em popularidade com o Superman.

 

 

Em 1940 surgiu o primeiro personagem que derrotaria o Superman(em vários sentidos), Capitão Marvel(o poderoso campeão!), uma criança que, ao dizer a palavra magica SHAZAM, se transforma no mortal mais poderoso do mundo, com os poderes oriundos de divindades antigas. O Sucesso foi tão grande que a DC meteu um processo violento na Fawcett e, depois de 20 anos e a falência da editora, finalmente comprou o personagem(e tentou ao máximo ridiculariza-lo diga-se de passagem). Além disso, tivemos o primeiro Super Grupo, o All Star Squadron/ Sociedade da Justiça. Além de outros personagens que se tornaram clássicos como Lanterna Verde, Joel Ciclone, Mulher-Maravilha, Capitão América e Namor por exemplo.

 

Outro adendo

 

Por que disse que Bob Kane é um proto Stan Lee?

Simples: Varias ideias para o morcego não vieram dele, muita coisa foi copiada do Sombra (bilionário que combate o crime, usa preto, tem um mordomo, etc), do Fantasma (o trauma e o juramento de combater os criminosos), Zorro(que é a principal influencia) e vários outros, da literatura e cinema também. Fora pontos que são ideia de Bill Finger e que só DÉCADAS DEPOIS passou a ser creditado como co-criador do Batman. Mas sem muito alarde, Lee fez o mesmo com Kirby, Ditko e outros tantos.

E sim, Lee é um de certa forma um copiador. Mas um marketeiro espetacular, tenho que reconhecer.

Mais uma vez a DC, se aproveitando de uma ideia criada na Fawcett Comics no gibi d’O Queijão Vermelho (salvo engano é isso, mas nunca lembro bem) lança em 1940 o Robin, o mais clássico de todos os sidekicks, como forma de agradar ainda mais as crianças, que agora tinham um personagem mais jovem para se identificar e aumenta os diálogos com o próprio Batman. E o sucesso foi gigante. As vendas do morcegão dobraram e todos os heróis ganharam seus ajudantes mirins: Flama, Listrado, Supermoça, Capitão Marvel Jr, Mary Marvel, Bucky e tantos outros que nem daria para listar.

 

 

Durante o sucesso da superheroimania, na Europa, a 2ª Guerra Mundial explode e os quadrinhos começam a refletir o conflito, mas isso é pra próxima parte.

 

 

Não esqueçam de me ajudar a complementar o texto aí nos comentários com informações bacanas ok?

 

Comentários via Facebook

Nerd, Fã de Cerveja, Devoto de São Kal-El, Santo Billy Batson, mas ainda um pouco Thorete e Aracnita. Mal Humorado, com PHD em Horriveldade e em Falar Merda.

Mais lidas