Conectar-se com

Filmes

Perfect Blue | O filme que inspirou Aronofsky em Requiem Para Um Sonho e Cisne Negro

Publicado

Em

 

Porque até Darren Aronofsky tem lá suas referências

 

Para quem gosta de drama psicológico, Darren Aronofsky é um diretor ímpar. Responsável por Requiem Para Um Sonho, Cisne Negro e o recente Mãe!, até Aronofsky tem suas referências: Perfect Blue é uma delas.

 

 

A animação japonesa de 1997 roteirizada Sadayuki Murai e dirigida por Satoshi Kon, torna-se um elemento importante na composição de duas de suas grandes obras.

Por isso, conheça agora Perfect Blue, o filme que inspirou Aronofsky em Requiem Para Um Sonho e Cisne Negro.

 

 

Perfect Blue conta a história de Mima Kirigoe, membro de um famoso e carismático grupo feminino de música pop chamado “CHAM!”. Em dado momento de sua carreira, ela decide explorar novos horizontes, sobre a orientação de seus empresários, tornando-se atriz. Este fato passa a não ser muito bem recebido por parte de seus fãs, que passam a criticá-la. Fatos, como a presença de um estranho indivíduo que passa a persegui-la, o surgimento de um site que relata a rotina de Mima escrita por alguém que se passa por ela começam a atormentá-la. A pressão de ser bem sucedida em uma nova área faz com que ela aceite se sujeitar a cenas mais sensuais e agressivas tornando seu caos interno ainda mais intenso. A trama fictícia em que ela atua trata-se de um misterioso assassino que a polícia tenta capturar intitulada ‘Double Bind’ (Duplo Vínculo). A medida que sua história avança, Mima confunde fantasia e realidade chegando a fazê-la questionar de sua própria sanidade.

 

 

Requiem Para Um Sonho

 

Foi para Requiem Para Um Sonho que Aronofsky comprou os direitos de Perfect Blue para reproduzir a famosa cena da banheira, em que Jennifer Connelly pragueja imersa embaixo d’água.

 

 

Cisne Negro

 

Para Cisne Negro, Perfect Blue apresenta muito mais semelhanças do que o próprio Aronofsky assume. A protagonista confunde fantasia com realidade, cobra muito de si mesma e comete insanidades devido a sua falta de controle do que é ou não real. Dados momentos, os fotogramas apresentam-se muito parecidos com a animação. A visceralidade é também marca registrada tanto em Perfect Blue quanto em Cisne Negro.

 

 

Perfect Blue venceu na categoria de Melhor Filme Asiático na premiação Fantasia Film Festival, em 1997, além de faturar o Fantasporto na categoria de Melhor Animação em 1998 e ser indicado ao Golden Reel Award em 2000.

A saga é baseada no romance homônimo Yoshikazu Takeuchi.

Com elemento de gore, Perfect Blue é um suspense psicológico latente e visceral, com um final surpreendente, assim como Paprika está para A Origem.

 

 

Para quem gosta de conhecer as referências, vale a pena conferir.

Comentários via Facebook

Radialista formado se especializando em direção de arte. Sagitariano, sonhador levando a vida buscando paz, amor e um lugar ao Sol. Cinéfilo, aspirante a roteirista. Aquele otaku paulistano que vê animes nas horas vagas, lê mangás no transporte público e faz cosplays pra tirar uma onda. Geek por consequência. Sucesso é uma jornada, não um destino, tenha fé na sua capacidade, esse é meu lema.

Mais lidas