Conectar-se com

Filmes

Review TBX | Eu, Tonya: Uma dura e incrível cinebiografia

Publicado

Em

Review do filme Eu, Tonya: Uma dura e incrível cinebiografia

 

Margot Robbie vive a talentosa e polêmica patinadora Tonya

 

Em época de Olimpíadas de Inverno, nada mais oportuno que falar desse belo filme. Eu, Tonya foi indicado a três Oscars este ano, nas categorias de Melhor Montagem, Melhor Atriz coadjuvante para Allison Janney e Melhor Atriz para Margot Robbie, sendo esta uma indicação mais que merecida, já que ela entrega uma interpretação realmente impressionante.

 

Review do filme Eu, Tonya: Uma dura e incrível cinebiografia

 

O filme conta a história real da ex patinadora olímpica e ex boxeadora americana Tonya Harding, que disputou duas Olimpíadas, foi campeã do campeonato nacional americano de patinação, se tornando a primeira mulher americana a realizar o salto triplo axel em competições. Chegou a ser considerada uma das melhores patinadoras do mundo nos anos 90. Contudo acabou envolvida em um plano macabro para quebrar as pernas de sua adversária, Nancy Kerrigan, caso que se tornou um dos maiores escândalos da história do esporte americano e que acabou pondo um fim à sua carreira.

 

Review do filme Eu, Tonya: Uma dura e incrível cinebiografia

 

O interessante é que o longa opta por um estilo de falso documentário (porém inspirado em entrevistas reais), algo bastante incomum em cinebiografias, tendo inclusive o uso de artifícios como a quebra da quarta parede (quando os personagens conversam diretamente com o público). Isso pode desagradar ou causar estranhamento nos espectadores que preferem narrativas mais convencionais.

Porém, esses detalhes acabam dando um toque especial ao filme. A narrativa é linda, moderna e descolada e o diretor usa e abusa da ironia, do humor negro e de um tom tragicômico que serve para dar uma “aliviada” no peso da história e de seus personagens. A escolha foi acertada já que torna o filme mais leve e dinâmico, ao mesmo tempo que consegue passar toda a densidade dramática que a história carrega sem apelar para o drama fácil.

 

Review do filme Eu, Tonya: Uma dura e incrível cinebiografia

 

As belas cenas de patinação são muito bem montadas e merecem destaque. Margot Robbie fez um ótimo trabalho, mas é evidente que ela não possui a habilidade para realizar tais proezas. É aí que entra a Montagem, que faz um incrível trabalho, focando nas pernas da personagem enquanto ela realiza as acrobacias e usando efeitos especiais para encaixar o rosto de Margot no da dublê. O jogo cênico é impecável e quase imperceptível. Excelente também a forma como ela é acompanhada na pista, a câmera patina com ela, o que torna as cenas dos campeonatos sequências épicas.

Impossível não citar a excelente (e deliciosa) trilha sonora repleta de clássicos, que além de empolgar fãs saudosistas, serve para complementar a ótima ambientação dos anos 90 em que a trama se passa.

 

Review do filme Eu, Tonya: Uma dura e incrível cinebiografia

 

Mas nada tira o destaque das maiores estrelas dessa obra: Sua poderosa protagonista e a brilhante interpretação de Margot Robbie. Tonya Harding é uma figura bastante controversa, dividiu a opinião popular, despertou amor e ódio e é muito interessante a maneira como é retratada aqui.

Craig Gillespie humaniza a personagem a ponto de conseguirmos entender o porque dela agir de tal maneira diante das situações. O diretor faz um bom trabalho ao dividir os nossos sentimentos. Sabemos que ela deve ser punida, mas, ao mesmo tempo, não queremos que seja algo tão árduo.

É de doer o coração a cena em que ela implora ao juiz que não lhe tire a coisa mais importante da sua vida, a única coisa que dá sentido à sua existência. Na cena (maravilhosa!) em que chora na frente do espelho enquanto se maquia, Margot Robbie dá um show de interpretação. Ela capta a dor e o desespero psicológico da personagem de um jeito que é impossível não sentir na alma uma enorme pena daquela mulher.

 

Review do filme Eu, Tonya: Uma dura e incrível cinebiografia

 

Esqueça Esquadrão Suicida! Esse é o verdadeiro, talvez o melhor até agora, trabalho de atuação de Margot Robbie. Digno de sua indicação ao Oscar e uma obra para a posteridade.

A história de Eu, Tonya não é fácil de digerir. É duro acompanhar a trajetória (e os resultados) de alguém, que como ela mesma diz, não conheceu outra coisa a não ser o abuso e a violência em toda a sua vida.

Aviso: Não saia durante os créditos. Enquanto eles rolam, são exibidas imagens da verdadeira Tonya Harding, das entrevistas que inspiraram o filme e de cenas marcantes da sua carreira, onde podemos ver o excelente trabalho de caracterização dos personagens e de representação das imagens. Vale até o fim.

 

Filme: Eu, Tonya
9.6 TRECOBOX
HISTÓRIA9
ELENCO10
DESENVOLVIMENTO10
PRODUÇÃO9
ORIGINALIDADE10

Comentários via Facebook

Ator, escritor, cinéfilo, nerd , colecionador e aspirante a cineasta. Meu maior hobby é assistir e colecionar filmes e tudo relacionado a eles. Acredito no poder da arte e do cinema de emocionar, discutir, fazer pensar como uma maneira de mudar o mundo e a sociedade na qual vivemos.

Mais lidas