Conectar-se com

Artigo

Franquia de X-Men agora é da Marvel. ‘Graças a Deus’

Publicado

Em

Franquia de X-Men agora é da Marvel. 'Graças a Deus'

 

A compra da Fox pela Disney pode ser benéfica a franquia de X-Men no cinema

 

Tivemos recentemente a compra da gigante Fox pela ainda mais gigante Disney. A aquisição afetará futuras produções e franquias que ainda é uma incógnita para uma legião de fãs. Uma delas é a franquia de X-Men, que volta para os braços e cuidados da Marvel no cinema.

 

 

Assim como Quarteto Fantástico, X-Men era uma das poucas adaptações das HQ’s que estava sendo produzida “longe de casa”. Tirando o aclamado e profundo Logan (2017), os filmes dos mutantes não estavam sendo lá tão bem recebidos pela crítica.

 

 

Kristy Puchko, da Comic Book Resources referiu-se a X-Men: Apocalipse por exemplo como “desapontante ser tedioso e chato aonde poderia ser excitante e imaginativo.”

Todd McCarthy, do The Hollywood Reporter chegou a ir mais além, ao comparar um filme da franquia de Capitão América, da Marvel com X-Men, da Fox, dizendo que “enquanto o primeiro pareceu fluir com leveza o segundo mais parecia um carrinho de bate-bate.”

 

 

Até o mestre Stan Lee, apesar de não se referir ao desempenho da Fox para com as adaptações das HQ’s Marvel, declarou:

 

“São ótimas notícias. Agora, personagens como os X-Men e o Quarteto Fantástico podem voltar para casa e para o lugar que eles pertencem. É extremamente importante ter todos os personagens da Marvel sob o mesmo teto. E agora, mal posso esperar para ver as maravilhas que farão.”

 

Verdade seja dita. Apesar do criticado excesso de humor, os filmes da Marvel, vêem recebendo além de rentosa bilheteria e aceitação do público, elogios e médias altas da crítica especializada.

 

 

Vingadores, de 2012, tem 92% de aprovação no Rotten Tomatoes com o seguinte consenso:

 

Graças a um roteiro que enfatiza a humanidade de seus heróis e uma grande quantidade de peças superpoderosas, The Avengers faz jus ao seu exagero e desperta o panteão da Marvel para o cinema.

 

Já o recente Thor: Ragnarok (2017), também sobre os cuidados da Marvel, que por consequência está sobre os cuidados da Disney, coleciona seus 92% de aprovação com o seguinte consenso:

 

Emocionante, engraçado e acima de tudo divertido, Thor: Ragnarok é uma aventura cósmica colorida que estabelece um novo padrão para sua franquia – e o resto do Universo Cinematográfico Marvel.

 

Enquanto isso, a franquia de X-Men vinha de mal a pior, trazendo deficiências em suas sequências temporais e atores nada carismáticos em seus papéis, como a vencedora do framboesa de ouro (por Mulher-Gato) Halle Berry, como Tempestade e a inexpressiva Jean Grey de Famke Janssen desde 2000.

 

 

Portanto, embora ainda haja incógnita do que será feito da franquia, as espectativas tornam-se positivas diante de tais fatos, nos fazendo agradecer que a franquia de X-Men retornou para Marvel.

E retornou com louvor, graças a Deus.

 

Comentários via Facebook

Radialista formado se especializando em direção de arte. Sagitariano, sonhador levando a vida buscando paz, amor e um lugar ao Sol. Cinéfilo, aspirante a roteirista. Aquele otaku paulistano que vê animes nas horas vagas, lê mangás no transporte público e faz cosplays pra tirar uma onda. Geek por consequência. Sucesso é uma jornada, não um destino, tenha fé na sua capacidade, esse é meu lema.

Mais lidas