Conectar-se com

Filmes

Do peito de Lara Croft à bunda de Capitã Marvel | O fim da hiperssexualização feminina em filmes de super-herói

Publicado

Em

Do peito de Lara Croft à bunda de Capitã Marvel | O fim da hiperssexualização feminina em filmes de super-herói

Sobre a atual representação de heroínas cativas no audiovisual

 

Desde que entrou em voga manifestações femininas clamando por igualdade de direitos e fim da hiperssexualização, a causa passou a tomar proporções maiores, ganhando vozes na mídia, como a de atrizes como Emma Watson e Jennifer Lawrence. Nas redes sociais não foi diferente: textos e linhas de discussões tomaram conta do Facebook e twitter chegando até os ouvidos de grandes produtores de audiovisual.

 

 

Com isso os filmes de super-heróis, em especial com personagens de destaque femininas, passaram a dar características mais humanizadas às suas heroínas, bem como roteiros com maior e merecido protagonismo da mulher em eventos importantes, deixando de lado o fútil desfile de corpos esculturais e diálogos vazios que só faziam dar a deixa para personagens masculinos se sobressaírem.

Filmes de heroínas como Mulher-Maravilha, Lara Croft e o vindouro Capitã Marvel, passam a dar finalmente o merecido protagonismo as personagens da forma que realmente deveria ser mostrado: apresentando suas facetas heróicas perante uma sociedade em perigo. No entanto, os órfãos reclamantes do “velho modelo” passaram a críticar essa nova leva de personagens, utilizando da sua ‘fidelidade’ ao script original. O problema é que entre os argumentos, sempre eram evidenciados a falta de formas generosas do corpo das mulheres e quase nunca eram argumentados os atributos heróicos que esta poderia apresentar.

Do peito de Lara Croft até a bunda de Capitã Marvel, saiba porque é importante o fim da hiperssexualização de personagens femininas em filmes de super-herói.

 

Lara Croft

 

 

O recente Tomb Raider – A Origem, filme baseado no reboot de 2013 do game clássico de 1996, apresentava na pele da atriz Alicia Vikander a icônica caçadora de tumbas Lara Croft. Muito diferente daquela que outrora aparecia nos games da década de 90 com peitos grandes, short curto e lábios carnudos, Alicia Vikander trazia consigo uma Lara Croft esguia, com traços mais próximos da mulher do dia-a-dia e com trajes próprios para uma tórrida expedição em uma ilha longínqua. Contrapondo-se ainda a sua antiga representante Angelina Jolie, que interpretava uma sexy Lara Croft no início dos anos 2000, esta foi muito criticada.

 

 

As considerações em questão são puramente equivocadas. Após o reboot dos jogos em 2013, Lara Croft aparece com um corpo com menos destaques às formas e mais realismo às cenas de ação em que ela participa. O cabelo se desmancha, o corpo se suja com a lama, a roupa por vezes também sofre gastos por conta da situação, mostram-se bem mais apropriados para a história da caçadora de tumbas. Afinal, que mulher iria de shortinho e peitos descomunais enfrentar os perigos no meio da floresta?

 

Mulher-Maravilha

 

 

Apesar de sua beleza característica de modelo israelense, Gal Gadot também sofreu críticas por apresentar uma forma corporal mais franzina. Críticos apontavam que fugiria do ideal físico de uma típica amazona. Por acaso eles teriam vivido em Themyscira para comprovar tal fato? Ou seria falta de ver um grande par de peitos agradando seus olhos durante o tempo frente às telonas. A resposta veio com o sucesso imediato. Com um roteiro adequado que exaltava unicamente as características heróicas femininas, Mulher-Maravilha arrecada US$ 223 milhões somente na primeira semana. Prova que atributos físicos não são tão importantes para representar um herói nos filmes.

 

Capitã Marvel

 

 

E então surgem as primeiras imagens do vindouro Capitã Marvel. Trazendo a heroína que dá nome á grande produtora de filmes e HQ’s, o título já se torna bastante criticado pela falta de atributos físicos de Brie Larson.

Brie Larson, vencedora do Oscar de Melhor Atriz, premiada com um Globo de Ouro e um BAFTA, teve seu desempenho diminuído antes mesmo de qualquer teaser do vindouro filme pela falta de bunda.

 

 

Seria cômico se não fosse trágico.

Por isso se faz mais do que necessário, a continuidade de mulheres em toda a sua pluralidade e diversidade representarem heroínas nos mais diversos âmbitos do universo audiovisual. Pessoas que impactem pela sua representatividade, exemplo de força e coragem, desempenho artístico e profissional e não mais pelos simples atributos físicos.

Como dizia Tina Turner, nós não precisamos de um outro herói. Precisamos de um público mais maduro.

 

Radialista formado se especializando em direção de arte. Sagitariano, sonhador levando a vida buscando paz, amor e um lugar ao Sol. Cinéfilo, aspirante a roteirista. Aquele otaku paulistano que vê animes nas horas vagas, lê mangás no transporte público e faz cosplays pra tirar uma onda. Geek por consequência. Sucesso é uma jornada, não um destino, tenha fé na sua capacidade, esse é meu lema.

5 Comentarios

5 Comments

  1. jorge luiz

    01/04/2018 em 22:12

    Aí, papo sério. O que vc tem contra uma bonita bunda? Só para sua pequena informação o principal atributo da viúva negra era a sensualidade. A camarada Natascha usava isso para acessar, dominar e eliminar os altos oficiais do governo americano. Aí vc quer uma viúva vara-pau no cinema? Quanto as outras personagens elas são atlética também. Tu queres uma mulher maravilha puro osso?

  2. Timothy Daltonico (@tdaltonic2)

    02/04/2018 em 14:26

    Todo dia um esquerdomacho querendo ganhar seu biscoitinho e um carinho na cabeça.

    • Mike

      05/04/2018 em 09:10

      E todo dia os “Pablos Vittares” saem de casa para querer que as mulheres fiquem mais semelhante aos homens.

  3. Mike

    05/04/2018 em 09:05

    Na moral das Heroínas de cinema e serie essa Capitã Marvel é a mais feia, esse papal era pra ser da Amber Heard ela sim era a mulher ideal para ser a Miss Marvel, nem precisaria de usar biquíni apenas a beleza dela
    seria suficiente.

  4. lilian alipio

    08/04/2018 em 18:42

    Realmente, muito antigamente os jogos de videogame tinha em grande maioria o publico masculino, esse traje realmente era para chamar a atenção deles, mas os tempos mudaram (graças a deus) eles colocaram mulheres mais próximas a realidade.

Deixe uma resposta

Propaganda
Propaganda

Review TBX

Propaganda

Mais lidas