Conectar-se com

Filmes

Review TBX | Pantera Negra e a representatividade de um herói negro

Publicado

Em

Review TBX | Pantera Negra e a representatividade de um herói negro

 

Um filme que usa da reafirmação de um herdeiro do trono como ferramenta para questionar o quanto nossos valores devem definir nossa conduta

 

Quando o personagem Pantera Negra apareceu em Capitão América: Guerra Civil conseguiu chamar a atenção o bastante para seu futuro filme. No entanto, era visível a dúvida se a exploração de seu universo e de Wakanda cairia na graça dos fãs. O diretor Ryan Coogler usa dessa matéria prima para construir um roteiro baseado em questionar valores e condutas.

 

Review TBX | Pantera Negra e a representatividade de um herói negro

 

T’Challa (Chadwick Boseman), ao assumir o trono de seu reino, passa a questionar quem realmente é e como deve seguir seu reinado. Afinal, após sair para o mundo e ver o quanto está doente sabe que a tecnologia e sabedoria de Wakanda podem ajudar. Mas também teme que a ganância do homem possa cair sob suas terras como no passado.

Em contrapartida a Erik Killmonger (Michael B. Jordan), uma herança sombria de erros de Wakanda, um filho abandonado em meio a loucura do oriente, criado em meio a “realidade” um herdeiro completamente herege. Ambos são opostos que existem para se completar e se construir ao longo da trama, mesmo quando não estão em conflito direto.

 

Review TBX | Pantera Negra e a representatividade de um herói negro

 

O universo do filme também tem uma ótima construção graças ao elenco de apoio. Shuri (Letitia Wright), a irmã mais nova de T’Challa, Garra Sônica (Andy Serkis), o agente Everett K, Nakia (Lupita Nyong’o), a líder das Dora Milaje Okoye (Danai Gurira), os guerreiros M’Baku (Winston Duke) e W’Kabi (Daniel Kaluuya), e a rainha-mãe Ramonda (Angela Bassett), todos entendem a necessidade e profundidade de seus personagens.

O título mais independente do universo não é utilizado de elo de ligação para sequências e também não precisa de justificativas para se manter. A partir do momento em que o espectador entende o objetivo da trama as coisas transcorrem facilmente. É visível o cuidado do diretor em tornar o roteiro dinâmico. Com uma trilha sonora que harmoniosamente traz elementos tribais tradicionais e modernos conforme o clima e proposta da cena. Talvez peque um pouco na execução dos efeitos especiais e sequências de ação em Wakanda, mas nada que estrague a execução geral do trabalho.

 

 

Pantera Negra entrega um produto satisfatório, abre as portas de Wakanda deixando a paleta de personagens da Marvel muito mais rica, dando ao universo contexto e força para crescer. Ele principalmente cumpre seu papel quando com a cena pós créditos, usando do discurso de seu líder a instigar as nações em construir mais “pontes” e derrubar seus “muros”.

 

Filme: Pantera Negra
9.4 TRECOBOX
HISTÓRIA10
ELENCO10
DESENVOLVIMENTO10
PRODUÇÃO9
ORIGINALIDADE8

Um apaixonado por livros, Lannister de nascença, sonserino por seleção. Um desbravador sob Terras Nerds. Que adora experiências e ideias, procurando sempre mais. Viciado em séries e filmes. Que vive por escrever e escreve porque/o que vive. Dono do blog @caragentenerd no Instagram.

Propaganda
Propaganda

Review TBX

Propaganda

Mais lidas