Conectar-se com

Artigo

Barry Allen: Um Flash fora do tempo

Publicado

Em

Barry Allen: Um Flash Fora do Tempo

 

É fã do Barry Allen? E se eu disser que ele não é o melhor Flash?

 

Em Crise Nas Infinitas Terras tivemos, dentre outras coisas importantes, Barry Allen, o Flash da era de Prata, morrendo heroicamente para ajudar a derrotar o Anti Monitor. Após isso, Wally West tornou-se o novo Flash e Barry assume o papel (não oficialmente, óbvio) do primeiro “Santo” dos gibis da DC. Isso foi em 1986.

 

Barry Allen: Um Flash Fora do Tempo

 

Por mais de 30 anos tivemos Wally como Flash, com participações esporádicas de Allen, que tinha passado 2 anos no futuro antes de morrer na Crise. Wally se tornou um personagem muito melhor e maior que os seus antecessores (mesmo eu preferindo o Joel Ciclone), Nas animações pós super amigos, o Velocista Escarlate é Wally, na série dos anos 90 e na atual, apesar de ambos se chamarem Barry, 75% do que eles são vem do Sr. Wally West. Até em Justiça Jovem e Jovens Titãs em Ação o ruivo está lá de forma mais carismática que qualquer outro velocista.

 

Barry Allen: Um Flash Fora do Tempo

Antes de continuarmos, gostaria de deixar um ponto sobre o “amor” de Iris e Barry:

Barry NÃO amava tanto assim a Iris. Desculpa aí se você torce para que os dois fiquem juntos no seriado (duvido que alguém torça), mas é a verdade. Duvida? Thawne matou Iris no pré crise, Barry desce a porrada nele e, sem nem esperar o defunto esfriar, já foi logo dando uns pegas na Fiona Webb. O envolvimento foi tamanho que eles quase se casaram (pena que Thawne discordava desse plano), mas, novamente, isso fica pra uma próxima.

 

Barry Allen: Um Flash Fora do Tempo

 

Voltando ao ponto pré “momento TV Fama”. Se você é leitor pós Crise, não conheceu Barry Allen de fato. Mas, resumidamente, podemos dizer que ele é o herói com a personalidade padrão número 4. Um cara legal, que todos gostavam, que passava credibilidade, quase um protagonista de uma comédia romântica, só que ultra veloz. E a culpa não é dele, pois os quadrinhos (e o entretenimento geral) o caracterizam assim.

Só tivemos a volta real de Barry em Crise Final, fugindo do Corredor Negro (que dizem as más línguas ser uma sacanagem com o Stan Lee, mas um dia conto isso… ou não). FInalmente o segundo herói da Era de Prata seria reinserido no Universo DC por Geoff Johns (por bem e por mal).

 

Barry Allen: Um Flash Fora do Tempo

 

E bem, o sucesso não foi o que esperavam…

Wally não era o Flash só de uma geração. Ele conquistou seus fãs durante décadas. Novos leitores e fãs do seu tio, que mesmo a princípio implorando pela volta de Barry, descobriram que o ex Kid Flash estava à altura do manto e que o legado era mais importante que a identidade secreta. Por outro lado, Barry era uma nostálgica lembrança, que funcionava muito bem assim.

 

Barry Allen: Um Flash Fora do Tempo

 

Depois de um tempo, tentando mostrar que Barry era legal a todo o custo (todos os outros Flashes e velocistas eram diminuídos para não ofuscarem o queridinho do autor), Johns escreveu sua “grande história” com o personagem: Flashpoint. E aí tudo desanda de vez.

 

Barry Allen: Um Flash Fora do Tempo

 

Não, seu fanboy chato! Não estou dizendo que a história é ruim. Flashpoint é um universo alternativo com um background riquíssimo: Atlantes e Amazonas em guerra; Bruce morto no lugar dos pais; A resistência tentando proteger os humanos do fogo cruzado; Superman sendo estudado como possibilidade de grande arma secreta; tudo completamente funcional, exceto Barry Allen. Aquela realidade no meio de uma guerra de raças mitológicas é culpa dele, que queria salvar a mãe.

Desde que Johns assumiu o título, ele tenta te convencer que Barry é legalzão, o mais icônico e importante, mas não entende que o personagem se tornou uma caricatura do que já foi. E o pior: todos os personagens que foram desenvolvidos ao longo dos anos, Joel Ciclone, Johnny Quick, Jesse Quick, Max Mercury (meu tio velho o chamaria de Ted Múltiplo), Impulso e Wally se tornaram personagens carismáticos e poderosos. Mas Johns não conseguiu mostrar o porque que ele deveria ter voltado. Todos os personagens foram rebaixados para que Barry tivesse chance, só que NÃO FUNCIONOU.

 

Barry Allen: Um Flash Fora do Tempo

 

Ain, se ninguém gostou, por que ele continuou nos novos 52, na série e no filme?

 

Por que Johns é fanboy da Era de Prata, um cara grande na empresa e, para piorar, agora é o manda-chuva da DC Films. Logo…

Barry é um bom personagem, mas ultrapassado, só funcionando quando embutido de características do Wally, ja que apenas na fase do ruivo foi quando o universo dos velocistas se expandiu de fato.

 

Barry Allen: Um Flash Fora do Tempo

 

Uma mitologia propria surgiu. Sagas inportantes como Futuro Relâmpago, Saga do Savitar (melhor vilão do Flash), O Retorno de Barry Allen (Não, Allen não volta nessa saga) e Velocidade Terminal são exemplos de fases mais importantes e bem escritas na historiografia do herói que qualquer outra do Flashverso.

 

Barry Allen: Um Flash Fora do Tempo

 

Bem, é isso. Wally é e sempre será melhor que Barry.

 

Inté!

 

Um comentario

Um comentario

  1. Edson Tayrone

    01/01/2018 em 18:04

    ótima postagem e análise, rica e clara.

Deixe uma resposta

Mais lidas