Conectar-se com

Artigo

Como viver de ansiedade pré Star Wars?

Publicado

Em

Como viver de ansiedade pré Star Wars? Nós compartilhamos do mesmo sofrimento.

O que um fã não passa por ter que esperar por um novo episódio da saga Star Wars…

 

Cara gente nerd…. Faltam poucos dias para a estreia de Star Wars: Os Últimos Jedi. Na verdade, tudo depende também de quando você lê essa postagem. Mas o sentimento de ansiedade é algo em comum a todos os fãs da franquia. E talvez esse seja o sentimento que impera dentro de todo fã de Star Wars. A ansiedade.

 

Como viver de ansiedade pré Star Wars? Nós compartilhamos do mesmo sofrimento.

Não aguento mais de tanta ANSIEDADE! Estreia logoooo!!!

 

Pessoas hoje em dia criticam George R. R. Martin por não publicar a continuação de Crônicas de Gelo e Fogo. Mas os corações mais antigos já sofreram muito mais nas mãos de George Lucas. Ele demorou até três anos de um filme para o outro e vinte anos para uma nova trilogia (com pontos questionáveis, Jar Jar Binks manda lembranças) enquanto nos dava uma overdose de versões remasterizadas. Até hoje não aceito que Rodiano atirou primeiro. Não mesmo!

A verdade puramente dita, para quem ama esse mundo, é que George Lucas está para Star Wars, assim como Shonda Rives está para Grey’s Anatomy. Relacionamentos complicados, mas que envolvem muito amor.

 

Como viver de ansiedade pré Star Wars? Nós compartilhamos do mesmo sofrimento.

 

E mesmo depois da feliz notícia de que Lucas havia vendido a franquia para a Disney, continuamos sofrendo com nossa ansiedade, já que surgiram novos questionamentos. Será que vão infantilizar a franquia? Quantos filmes serão? Mickey vai aparecer no filme? A Princesa Leia agora é uma princesa Disney? Ela vai ser coroada e viver no castelo da Cinderela com todas as outras?

Porem as coisas seguiram no melhor estilo Disney de entreter, afinal estamos falando de uma potência cinematográfica, que sabe entregar ao público o que ele quer. E quando O Despertar da Força surgiu nas clássicas letras amarelas todos respiramos um pouco mais aliviados sabendo que agora sim estava tudo bem.

 

Como viver de ansiedade pré Star Wars? Nós compartilhamos do mesmo sofrimento.

 

E quando chegou a Comic Con e o primeiro trailer foi divulgado com uma cena de abertura com a Millenium Falcon? Todos sentimos uma lágrima escorrer no canto do olho. Passamos a novamente nos saborear com as teorias e revisão do material que saía, analisando quadro a quadro, cena a cena, incansavelmente.

 

Como viver de ansiedade pré Star Wars? Nós compartilhamos do mesmo sofrimento.

Até que chegou o dia da estreia e tudo se tornou justificável, até mesmo Solo não ter atirado primeiro ou Jar Jar Binks ter existido. Ninguém queria mais discutir isso, nós apenas sentamos na frente da telona, como das últimas seis vezes, e quando as letras amarelas começaram a subir um sorriso bobo surgiu no rosto e nos demos ao direito de apenas sentar e assistir.

J.J. Abrams, que é um fã assumido da franquia, também sofreu nas mãos de George Lucas, por isso nos entregou uma linda história, dando aquilo que há anos implorávamos. E por ser um fã também terminou o filme tocando em nosso maior ponto fraco: Nossa ansiedade. Afinal surgiram mais perguntas. Rey estava entregando o sabre a Luke? Ele iria pegar? Ele iria treinar ela? Que lugar era aquele? Quem são os cavaleiros de Ren? Kylo Ren iria terminar o treinamento onde? Porque dos nomes Rey, Ren?

 

Como viver de ansiedade pré Star Wars? Nós compartilhamos do mesmo sofrimento.

 

Essa “tradição” de nos torturar com poucas informações continuou durante a produção do segundo filme, afinal os roteiros são impressos em páginas vermelhas para que ninguém tente fazer cópias. Com a data de estreia confirmada e o segundo filme com título exposto, passamos a nos perguntar: O Último Jedi? Os Últimos Jedis? Os Últimos Jedi? Jedi não tem plural? Por que o logo está vermelho?

 

Como viver de ansiedade pré Star Wars? Nós compartilhamos do mesmo sofrimento.

 

Consequentemente, após um ano de tortura e protesto, o trailer que não saía enfim surgiu, instigando e mobilizando o mundo nerd a reviver o frenesi de O Despertar da Força. A verdade é que a franquia é tão amada, não apenas pelos filmes, livros e séries, mas porque nos obriga a pensar, e é disso que todo nerd gosta. De pensar, de participar, de criar ideias, teorias e as ver sendo consolidadas, ou não. E mesmo nos tornando pessoas ansiosas e nervosas, Star Wars nos dá o poder de socializar e discutir sobre seu universo.

Talvez o maior erro de George Lucas, ao criar Star Wars, foi o de querer contar apenas a história da família Skywalker. O que ele não sabia é que o amor dos fãs daria à franquia o pode de crescer muito mais do que o número de planetas pertencentes à República.

Enfim, ainda faltam alguns dias para a estreia de Star Wars: Os Últimos Jedi, e a velha ansiedade se torna mais latente à medida que os dias passam. Talvez essa seja nossa sina, um Jedi precisa saber administrar a força a serviço de um bem maior, e nós, nossa ansiedade. Pois no fim sabemos que o universo de muitos anos em uma galáxia muito distante ainda nos vai render experiências memoráveis.

 

Um apaixonado por livros, Lannister de nascença, sonserino por seleção. Um desbravador sob Terras Nerds. Que adora experiências e ideias, procurando sempre mais. Viciado em séries e filmes. Que vive por escrever e escreve porque/o que vive. Dono do blog @caragentenerd no Instagram.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mais lidas