Rotten Tomatoes | Confiar ou não? Eis a questão

Você se baseia pelo Rotten Tomatoes?

 

No mundo do cinema, alguns fatores podem interferir diretamente na visão de um filme perante o público. Muitas pessoas antes de arriscar ver um título cinematográfico, costuma pesquisar a crítica para ver o seu desempenho e muitas vezes julgam pelas premiações que eles podem vir a ter. Um desses fatores é o polêmico Rotten Tomatoes. Odiado por uns e consultado por outros, o website americano é utilizado como argumento em diversas discussões sobre cinema. Alguns títulos atuais do público nerd como Batman vs. Superman e o famigerado Esquadrão Suícida, são alguns dos exemplos recorrentes que podem ter sido ligeiramente prejudicados por essa avaliação.

 

 

Mas o que é, como funciona e de onde vem? Descubra agora o que é o Rotten Tomatoes e se você pode confiar ou não.

 

Rotten Tomatoes é um famoso website americano que agrega críticas de cinema e televisão. Fundada por Senh Duong em 1998, a página atualmente é propriedade da ComCast com parte minoritária cedida à Warner Bros. A tradução livre do termo significa “Tomates Estragados”, referindo-se ao ato de atirar tomates àqueles cujo desempenho artístico não foi bom. O objetivo ainda mantem-se muito próximo do qual foi criado: Reunir críticas de diversas localidades, resultando em uma média que varia de acordo com o número de colaborações a serem feitas. Dentro desse contexto, uma produção cinematográfica pode ser classificada em três grandes matrizes: Certified Fresh – quando o índice de aprovação apresenta resultados de 70 à 100%, avaliação de pelo menos 80 críticos, incluindo 5 top críticas. Fresh – quando o título tem uma aprovação entre 60 à 100%, e Rotten – quando o filme apresenta aprovação abaixo de 59%.

A partir dessa premissa, muitos filmes assim que lançados, podem ter seu desempenho consultado por possíveis expectadores. O problema é que a avaliação, pode vir a impactar diretamente na bilheteria e no real alcance que o filme poderia ter atingido, visto que esse índice torna-se rapidamente notícia e faz o título perder a credibilidades por parte do público que sequer chega a vê-lo.

Diretores aclamados, chegam até a discordar desse tipo de proposta. Martin Scorsese é um deles:

 

Martin Scorsese, diretor.

 

“Eles dão notas para um filme da mesma maneira como você daria uma nota para um cavalo num hipódromo, para um restaurante ou para um produto para casa. Eles tem tudo a ver com a indústria cinematográfica e nada a ver com a criação ou com a forma inteligente de se assistir a um filme. O cineasta é reduzido a um manufaturador de conteúdo e o público a um consumidor preguiçoso.”

 

Brett Ratner, diretor de X-Men: O Confronto Final chegou a declarar:

 

Brett Ratner

 

“A pior coisa que temos na cultura cinematográfica de hoje é o Rotten Tomatoes. Acho que é a destruição da nossa indústria. Tenho muito respeito e admiração pela crítica de cinema. Quando eu estava crescendo, a crítica de cinema era uma arte verdadeira. E havia intelecto nisso. Você lia os comentários de Pauline Kael, ou de outras pessoas, e isso não existe mais. Agora tudo é resumido em um número, composto de positivos contra negativos. E isso é triste, porque a pontuação de ‘Batman vs. Superman’ no Rotten Tomatoes foi tão baixa que acho que atrapalhou um filme muito bem sucedido.”

 

Por outro lado atores como Ben Affleck, que também é diretor e roteirista, chegou a classificar as críticas do site como “justas” e “compreensíveis”. Em menção à Batman vs. Superman ele disse:

 

Ben Affleck

 

“Eu consigo entender porque alguns fãs estavam afirmando que o filme era muito sombrio, era muito fora do tom que os outros longas do Batman costumavam ser, e isso é uma crítica justa.”

 

Mas será que se pode realmente confiar no Rotten Tomatoes? O aclamado É Apenas o Fim do Mundo, de Xavier Dolan por exemplo, que contava com , Marion Cotillard, Léa Seydoux e Vincent Cassel no elenco, foi premiado em Cannes e sugerido na indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2017. Enquanto no site conta com os atuais 45% de aprovação.

 

É apenas o fim do mundo

 

Isso prova que apesar de servir como referência e argumento em discussões de cinema, a melhor ferramenta para a formação de opinião a respeito de algum filme ainda continua sendo assistir.

 

 

Radialista formado se especializando em direção de arte. Sagitariano, sonhador levando a vida buscando paz, amor e um lugar ao Sol. Cinéfilo, aspirante a roteirista. Aquele otaku paulistano que vê animes nas horas vagas, lê mangás no transporte público e faz cosplays pra tirar uma onda. Geek por consequência. Sucesso é uma jornada, não um destino, tenha fé na sua capacidade, esse é meu lema.
    3 Comentários neste artigo

    Deixe uma resposta

  • João Medina
    11 outubro 2017 at 15:08 - Reply

    “Isso prova que apesar de servir como referência e argumento em discussões de cinema, a melhor ferramenta para a formação de opinião a respeito de algum filme ainda continua sendo assistir.” – MELHOR CONCLUSÃO EVEEEER!!!!

  • Hallan Machado
    13 outubro 2017 at 19:39 - Reply

    Concordo com você, João Medina! 😉

  • Nathy
    14 outubro 2017 at 15:18 - Reply

    O melhor ainda é assistir antes de dar sua opinião. O problema que a galera anda sendo zumbi da opinião alheia, sem ao menos assistir ou ler, antes de opinar.

  • POPULARES

    No canal