5 sites que você visitou quando conheceu a Internet

Mais um artigo da série “recordar é viver”

 

Ah, a internet…

Lugar amplo, com uma infinidade de conteúdos mundiais, que fica difícil de você escolher uma única fonte de informação. Com o boom do advento aqui no Brasil, mais propriamente a partir dos anos 2000, o número de páginas web para você navegar aumentou de maneira gigantesca. Mas para você que é da época em que “isso aqui era tudo mato”, algumas páginas ganharam mais destaque que outras num longínquo passado.

 

Relembre agora 5 sites que você visitou quando conheceu  a internet.

 

Charges

 

Site charges.com.br.

 

O site de humor com charges do cartunista Maurício Ricardo, foi criado em fevereiro de 2000, e trazia consigo trechos de humor com figuras famosas de nosso cotidiano. Ainda com variedade restrita de sites disponíveis para solo tupiniquim, o portal tornou-se referencia de humor para os novatos da web no início do século.

 

Cadê?

 

Site de buscas “Cadê?”.

 

Criado em 1995 pelos brasileiros Gustavo Viberti e Fabio Oliveira, o site de buscas Cadê era líder nas utilizações pelos os usuários do país. Muito antes da Google dominar o mundo na tecnologia de buscas, o Cadê era o mais procurado quando o assunto era encontrar conteúdo. Infelizmente, devido a dificuldades de tornar o produto rentável, uma vez que na época a publicidade brasileira não acreditava no potencial da internet, o Cadê foi vendido para o gringo Yahoo!, tonando-se Yahoo! Cadê.

 

Orkut

 

Comunidade “Eu Odeio Acordar Cedo”, popular na rede social.

 

A rede social que mal conhecíamos e já considerávamos pacas, não é mesmo. Orkut foi um site de relacionamento filiado a Google e criado por Orkut Büyükkökten em janeiro de 2004. Com sede na Califórnia, o site tinha um alto número de usuários brasileiros. Primeiramente era necessário um “convite virtual” por usuários já cadastrados na rede para fazer parte do grupo seleto de participantes. Mais tarde o acesso foi liberado a quaisquer interessados através de um cadastro que requisitava endereço de e-mail. O sucesso foi tão grande no país, que o site em 7 de agosto de 2008, teve suas responsabilidades integralmente transferidas para a Google Brasil. Com acesso a bate papo pelo Google Talk, Comunidades com os títulos mais estranhos que se possa imaginar, jogos infames e o famoso app Buddy Poke, o site deu seu último adeus em 2014, quando diante da concorrência com o Facebook de Zuckerberg, a página teve sua existência encerrada.

 

Fliperama

 

Site de jogos Fliperama.

 

O site de jogos Fliperama, foi uma página surgida no início dos anos 2000 que disponibilizava jogos de arcade e dos mais diversos consoles de uma maneira revisitada, bem como jogos de fácil carregamento para a lenta internet de uns tempos atrás (saudades Speedy, ou não). Quem não lembra do clássico “feche as pop-ups”, do game de Sonic com a coelhinha Cream como um dos personagens jogáveis ou mesmo o senhor de Gold Miner, que tentava por horas resgatar todas as pepitas da plataforma. Sucesso entre crianças e adolescentes, foi um dos primeiros acessos de muitos brasileiros que estão na casa dos vinte e até trinta e poucos anos.

 

Assustador

 

Site sinistro Assustador.

 

Uma página bárbara que você acessou quando descobriu a internet, e também um tanto sinistra. A página de conteúdos assustadores e bizarros, mostrava desde mortes brutais, à cenas de mutilação e aparições fantasmagóricas em fotos. Era o tipo de site proibido perfeito para você ver com os amigos e escondido dos pais. O conteúdo era tão bizarro que até a deepweb duvida. Vai entender por que passávamos longos momentos vendo isso. Medo.

 

Por hoje é só pessoal. Aposto que você se sentiu em alguma parte da primeira década de 2000 agora, não é mesmo? Faltou algum site? Comente abaixo qual página você incluiria nessa lista. Compartilhe com os amigos e nos siga também nas redes sociais. Afinal recordar é viver.

 

 

Radialista formado se especializando em direção de arte. Sagitariano, sonhador levando a vida buscando paz, amor e um lugar ao Sol. Cinéfilo, aspirante a roteirista. Aquele otaku paulistano que vê animes nas horas vagas, lê mangás no transporte público e faz cosplays pra tirar uma onda. Geek por consequência. Sucesso é uma jornada, não um destino, tenha fé na sua capacidade, esse é meu lema.
    Comentário único
  • Nathy
    12 março 2017 at 20:58 -

    me senti muuuito velha agora
    hauhauahauaha eu entrava na maioria desses na escola, burlando um código interno
    xDDD
    LOL

  • POPULARES

    No canal